11/07/2022 - 07:50

Por: Antonio Costa / Zakinews

FIPE – 39 anos de histórias inesquecíveis pescando emoções


 Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews
Estampa na camiseta do 1º Campeonato Internacional de Pesca de Cáceres-MT - FESTIVAL DO PEIXE em 1980
Acervo da Roselane Silva


Um total de 12 equipes todas de Cáceres começaram a fazer a história deste que se tornou o maior Festival de Pesca em água doce do mundo. Isto há 42 anos sob o comando do grande amante da pesca e da natureza, o técnico em eletrônica Aderbal Michels e sua família.

O prefeito nomeado, Ivo Scaff, deu toda a cobertura necessária para que o evento fosse realizado e se tornasse já em sua primeira realização o principal acontecimento da cidade e de toda a região, conforme revelava Orfélia Michelis, viúva de Aderbal, que ao lado do sogro Bertolino Michels e do filho Adilson foram os responsáveis pela implantação do FIPE também com as participações do conhecido Adelino Ferreira, o “Pirangueiro” e do jornalista Luizmar Faquini.


Foi na gestão do prefeito Ivo Scaff que deu início ao Festival de Pesca
Foto: Acervo da família Scaff
 
Registro dos primeiros festival do peixe quando a concentração era de frente ao cais da praça Barão do Rio Branco
Acervo: Família Michels
 

Orfélia lembrava sempre emocionada que Bertolino, Aderbal, Faquini e Adilson (por ser menor não pôde competir), estiveram participando de um torneio de pesca na vizinha Barra do Bugres. De lá trouxeram a ideia que prontamente foi acatada pelo prefeito Ivo Scaff. A principio o torneio entregava pequenos troféus e medalhas às equipes participantes. Até chegar os dias de hoje para oferecer carro, lancha e potentes motores aos melhores classificados.

Nas primeiras edições do torneio, o Banco Itaú era o principal patrocinador do evento. Posteriormente outras instituições financeiras também participaram nos festivais, como: Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal
Acervo: Wilson Kishi

A história do festival é repleta de fatos interessantes. Tinha aquele que havia suspeição de que os peixes estavam “amarrados” por alguns competidores para serem capturados no dia da prova. Os comentários eram muitos acerca de fraudes. Houve uma equipe que teve que devolver o barco após uma concorrente participante entrar na justiça e comprovar a fraude.

Mas felizmente isso tudo faz parte do passado. Hoje o festival é seguro e muito competitivo ante o desempenho dos participantes que aliam técnica e um pouco de sorte para capturar as espécies e estas serem devolvidas ao rio após a aferição ainda no barco pelos fiscais que acompanham a prova desde a largada até o seu encerramento.

Família Michels com os primeiras taças e troféus ofertados na década dos anos 80
Acervo: Família Michels

Guiness Book

Em 1992 o festival entrou para Guiness Book – o livro dos recordes como o maior evento de pesca esportiva em água doce do mundo.

Há de se registrar o empenho e dedicação das amigas Orfélia, Maria Dulce Belic (in-memoriam) e Yeda Marli em promover as gestões necessárias com vistas à consecução de tamanha honraria para a cidade de Cáceres.

Então sob a supervisão da Confederação Brasileira de Pesca e Desporto Subaquático, cujo presidente Eduardo Paim Bracony por várias vezes veio a Cáceres com a sua equipe para comandar o torneio. Com ele sempre presente o Clube Barracuda de Pesca do Rio de Janeiro que com os pescadores locais travava verdadeira luta à caça das melhores espécies nas águas do Rio Paraguai. O então governador Frederico Campos patrocinou as passagens e ajudou na estadia de Bracony e da equipe de arbitragem.

Essa época o árbitro Renato Côgo chefiava a equipe de arbitragem com muita ética, paixão e carinho. Se tornando num “amigo de Cáceres”, conforme Orfélia.

Rosane, Marimar e Triana Michels
Acervo de família

Princesinhas

A cada ano o torneio foi se evoluindo. As equipes femininas começaram a participar dando um colorido a mais a disputa. Época em que a equipe “Princesinhas do Paraguai” sempre se despontava através das pescadoras Rosane e Triana Michels, Simone/Marimar. Elas cresceram e se tornaram adultas então a equipe passou a se chamar “Aberbal Michels”.

Também a pesca infantil (1979) ao longo da Baia que margeia o centro de Cáceres ganhou o seu espaço dentro do torneio, como forma de incentivar a pesca entre as crianças dentro do sentimento preservacionista, além de oportunizar a participação dos menores principalmente após o veto que impediu Adilson de participar do torneio na Barra do Bugres.

Após durante treze anos com a ajuda de famílias voluntárias a grande festa foi realizada. Em 1985 Aderbal Michels morre. A Confederação Brasileira estabelece que os convites do festival deveriam sair com o nome de Aderbal que a esta altura através de decreto legislativo expedido pela Câmara Municipal era reconhecido como Patrono do Torneio e Orfélia guindada a coordenadora da Confederação em Mato Grosso.

Nos FIPe do passado, uma das grandes atrações eram as réplicas das fazendas históricas de Cáceres, como a Jacobina (foto acima), Descalvados, Facão e Ressaca
Foto: Wilson Kishi

Cáceres rompe com a Confederação. De torneio passa a Festival Internacional de Pesca -FIP e não para de crescer. Sucessivos recordes de inscrição de equipes garantem a sua permanência no Guiness.

A essa altura o nome de Yeda Marli de Oliveira Assis, secretária de Meio Ambiente e Turismo se destacava como uma das mentoras principais do Festival.

A praça começou a ganhar nova roupagem com uma decoração de encher os olhos. Flores e plantas ornamentais deram um brilho a mais à praça do evento. O aquário, a cascata, fonte luminosa inaugurada na gestão do prefeito Walter Fidélis, tudo foi surgindo e incorporando uma filosofia que garante a continuidade de sucesso da maior festa do gênero em todo mundo.

“A árvore que ajudamos a plantar hoje cresceu, floriu e continua dando excelentes frutos. Tivemos apoio das autoridades da época especialmente das famílias de voluntários que até hoje nutrem grande amor pela nossa cidade. Os méritos são de todos que acreditaram na proposta, a exemplo do Aderbal um verdadeiro sonhador”, dizia em vida Orfélia Michelis bastante emocionada e com os olhos lacrimejando em meio à empolgação de ter ajudado a construção da maior festa pesqueira do planeta.

FIPE através do trabalho de Yeda Marli


Secretária de Turismo, Yeda Marli de Oliveira Assis ao lado do Governador Dante de Oliveira e prefeito Aloísio Coelho de Barros durante o 20º Festival Internacional de Pesca (1999)
Foto: Wilson Kishi

A revista de circulação nacional Pescaventura em outubro de 2010, trouxe em cinco páginas destaque para a pesca esportiva que se pratica em Cáceres, através do Festival Internacional de Pesca num enfoque com a ex-secretária estadual de Turismo, Yeda Marli de Oliveira Assis.

Yeda, mineira de nascimento, cacerense de coração, é intitulada na matéria como a suave “dama de ferro” da pesca esportiva. Veja parte da entrevista:

História de sucesso. A mineira de Itapagibe Yêda Assis durante 30 anos foi professora em Cáceres-MT e, a partir de 1980 atuou – de forma concomitante – em cargos na Prefeitura como diretora de Esportes, secretária de Governo, de Educação e de Turismo (2003 a 2006, cargo por meio do qual criou o Campeonato Estadual de Pesca em 2004). Considerada uma das mulheres que mais conhecem a prática da pesca esportiva no Brasil, já proferiu palestras nas principais cidades, ganhou prêmios na área de meio ambiente e ajudou a criar outros torneios de pesca. Atualmente, retirou-se para Uberlândia e dá os primeiros passos na carreira empresarial.

Conheça as suas principais contribuições para fazer do FIPe um espetáculo grandioso:

Consolidou o festival como o maior torneio de pesca fluvial embarcada do mundo, com reconhecimento pelo Guinness Book. Para se ter uma ideia, o primeiro torneio reuniu apenas 72 participantes na pesca para adultos e 55 na infanto-juvenil, com um total de 123 quilos de pescado destinados a uma peixada de confraternização. Atualmente, o FIPe reúne cerca de 150 mil pessoas.

Criou a categoria feminina e deu-lhe o mesmo prestígio da masculina; Instituiu a pesca de canoa; Incluiu a participação da população indígena; Promoveu campanhas de combate ao turismo sexual no meio da pesca; e Implantou eventos esportivos paralelos.

Ao instituir o pesque e solte em 1997 e promover e incentivar o tangueamento dos peixes fisgados a partir de 1998 deu exemplo sobre o uso adequado da natureza. Com isso, promoveu a limitação da potência dos motores, da área de pesca e a realização de largada por bateria e velocidade controlada – tudo para preservar a beleza e piscocidade do rio Paraguai.” 

Claudionor Duarte, participou ativamente das coordenações dos festivais de pesca por mais de três décadas
Foto: Wilson Kishi

As mudanças

O servidor municipal aposentado, Claudionor Duarte Correa, que durante mais de 30 anos esteve sempre presente no evento dedicando com o seu trabalho e experiência, ele que começou na área cultural no ano de 1983 na administração Antonio Fontes, citou as mudanças que ocorreram no torneio.

Nos anos de 91/1992 o evento deixou de ser Torneio Internacional Itaú de Pesca de Cáceres, e foi batizado como Festival Internacional de Pesca – FIP, na gestão Walter Fidélis.

Na foto acima, o registro foi em setembro de 1998, no 15º Festival Internacional de Pesca, quando permitia a divulgação dos candidatos a presidente da república, governador, senador, deputado federal e estadual  - Acervo: Museu Histórico

Até que no ano 2000 novamente o nome passa a ser Festival Internacional de Pesca Esportiva - FIPe o que perdura até os dias atuais.

Segundo ele, o festival sempre cresceu e evoluiu. Tanto é que serviu de cópia ou modelo para a implantação do Estadual de Pesca promovido pelo governo do Estado.


Marinha do Brasil: Presença marcante nos festivais de pesca
Foto: Wilson Kishi


Participação das Forças Armadas

O crescente e consolidado festival de pesca de Cáceres, vem acompanhado da sempre brilhante atuação da parceria com as forças armadas e de segurança, como Exército, Bombeiros Militar, Polícia Militar e a Marinha do Brasil, através da Agência Fluvial de Cáceres, que está em Cáceres há mais de 103 anos e em todos os eventos do FIPe, participou na fiscalização do tráfego aquaviário, aéreo e fluvial. Veja matéria feita em 2019 Marinha do Brasil sempre envolvente e participativo nos festivais de pesca de Cáceres”.

Walter Dibo (in memorian)
Foto: Wilson Kishi

FIPE da saudade

Ao completar a sua 39ª realização nesta semana (13/18), o Festival de Pesca de Cáceres cataloga o trabalho e a dedicação de inúmeras pessoas e até mesmo anônimos que de uma maneira ou de outra, ajudaram na efetivação desta que é a maior festa pesqueira de MT.

Assim zakinews nesta oportunidade procura homenagear também aqueles que não mais estão vivos para continuarem se dedicando à festa pesqueira. Caso do criador do evento, ex-prefeito Ivo Scaff; o casal Aderbal e Orfélia Michels, Dona Maria Dulce Belic, a servidora municipal Maria Sophia da Silva Leite (que completará em setembro 10 anos de seu falecimento). Walter Dibbo, que chegou até Cáceres procedente do Rio de Janeiro, como funcionário da firma Alcindo Convap responsável pelo asfaltamento do trecho Cáceres-Cuiabá.

Dibbo permaneceu em Cáceres após a inauguração da obra e aqui constituiu família. Passou a trabalhar na prefeitura e foi um grande colaborador dos festivais. Era o responsável pela construção do lago e da cascata na Praça Barão do Rio Branco e que atraiam admiradores durante os dias da festa.

Foram esses e muitos outros que já partiram, que dedicaram para que hoje o FIPE tomasse a grandeza e o conhecimento como o maior do gênero.


 Foto: Wilson Kishi
 


O 39º FIPe inicia esta semana

O Festival do Peixe iniciado em 1980, quando foi realizado o 1º Campeonato Internacional de Pesca de Cáceres, ao longo dos anos sofreu quatro interrupções. A primeira aconteceu em 2009, quando o mundo assustava com o avanço do vírus Influenza A (H1N1), causador da gripe suína, o prefeito da época, Túlio Fontes, decidiu, após respaldo dos órgãos da Vigilância Sanitária, transferir para o mês de abril de 2010, que seria o 30º FIPe.

O ex-prefeito Francis Maris, que teve dois mandatos, deixou de realizar o festival de pesca em 2013, alegando falta de recursos e sem emendas parlamentares e em 2020, no primeiro ano da Pandemia causado pelo Covid-19. Fato este que se prolongou em 2021, no primeiro ano da gestão da atual prefeita Eliene Liberato.

Com a grande maioria da população vacinada, pelo menos, com a 3ª dose da vacina contra a Covid-19, Cáceres volta a realizar mais uma edição, desta vez é o 39º Festival Internacional de Pesca Esportiva de Cáceres, que vai de 13 a 17 de julho, com Pesca Embarcada, Pesca de Canoas, Torneios Esportivos na quadra de areia, com arquibancadas e Shows Nacionais e atrações regionais.

Segundo o secretário de Turismo e Cultura, Cláudio Henrique Donatoni, a programação deste ano ficou bem diversificada. “O cantor Luan Santana fará o show de abertura do FIPe na próxima quarta-feira, dia 13. No dia seguinte (14) será a vez de um dos maiores nomes da música gospel, Anderson Freire. A comunidade católica terá a oportunidade de assistir, na sexta-feira (15), o show do Padre Alessandro, carinhosamente chamado de Padre Sertanejo. No sábado (16) quem vai agitar a galera é o cantor Zé Felipe e no encerramento domingo (17), a Banda Titãs. Tudo sem custo para a população e visitantes, participarem”, disse o secretário.

Para a prefeita Eliene Liberato, na página institucional do FIPe, reforçou o convite para que todos os amantes da pesca, de aventura e belas paisagens naturais, possam marcar presença em Cáceres nos dias 13 a 17 de julho de 2022. “Venha conhecer o nosso Pantanal e participar juntos, deste que é o maior evento turístico de Mato Grosso, o nosso Festival Internacional de Pesca Esportiva, e se tornar cada vez melhor”, conclamou a prefeita.

Inicia nesta quarta feira (13) o 39º FIPe com recorde em premiações e grandes shows nacionais e regionais

 

Comentários: ( 11 ) cadastrados.
Por: Ageo Luiz Bastos Villanova
Cuiabá
Parabéns Kishi, pela excelente matéria.
16/07/2022 13:01:14

Por: Ana Geralda de Andrade
Cáceres MT
Que maravilha essas recordações parabéns pra nosso pessoal q estiveram a frente pra que tudo isso acontecesse e acontece hoje parabéns,parabéns tbm a equipe de jornalistas pelo belo trabalho 👏👏👏👏
15/07/2022 18:32:30

Por: Maria Sueli Vieira Mattiello
Cáceres Mt.
Nossas VIDAS, sempre estão cheias de Histórias do Passado -Presente e Futuro, fiquei emocionada pelas velhas lembranças...Sou do tempo do Sr. Ivo Scaff, Professora Yeda Assis, Maria Dulce, Orfélia, Sopfia ,Claudionor ,(Este tem muita história para contar ). - Sempre estava junto com estas velhas amigas, lembro-me que uma das maneira de poder ajudar, era mandar flores e levar chazinho no escritório da Praça Barão para minhas amigas que estavam REVOLUCIONANDO nossa cidade com o famoso FIP. - Minhas atividades como adm.. da Empresa Ética ,não me permitia uma participação mais ativa, .mas lá fiz a minha parte intermediei a venda do Imóvel da Área onde hoje está a SEMATUR, tudo porque meu saudoso amigo Alexandre Daveron (in memoriaun) , que sempre acreditava no TURISMO DE NOSSA CIDADE.. Agora é pensar no FUTURO, e, acreditar que nada foi em vão .A HISTÓRIA falará por sí só.

.
11/07/2022 20:28:34

Por: Helio da Silva
Caceres
👏👏👏👏👏 bom dms relembrar esses momentos do fip.. parabens ao site por trazer sempre boas memorias pra gente nas segundas. Abraços
11/07/2022 16:40:22

Por: Marimar Michels Carvalho
Cuiabá
Olá, estou lisonjeada pela homenagem a minha família. Sou a Marimar, uma das "princesinhas" rsrsrs....., desse registro fotográfico. Parabéns pela brilhante matéria, pelo reconhecimento e valorização à todos que participaram do início do grande Festival Internacional de Pesca que hoje virou tradição e referência mundial! Obrigada!
11/07/2022 15:34:33

Por: Reginaldo A. Pontes
Cáceres-MT
Muito legal a materia!VALEU Zakinews!!
11/07/2022 10:44:28

Por: Anna Paula
Cáceres
Uma festa que é um orgulho para nós cacerenses.
11/07/2022 10:04:07

Por: SURICATO
CÁCERES
PODERÍAMOS TER UM ACERVO DEMONSTRANDO TODAS AS EDIÇÕES E OS CAMPEÕES DE TODAS AS EDIÇÕES EM TODAS AS CATEGORIAS, EXPOSTAS PUBLICAMENTE.
11/07/2022 09:06:20

Por:
Campo Grande
Esse festival faz parte da estória de Cáceres. Um acervo maravilhoso! Parabéns.
11/07/2022 07:33:13

Por: Antônio Júlio Maciel
Gaspar SC
Bela homenagem Aos protagonistas Sr. Ivo scaff . ADERBAL MICHELS E TODOD E TODAS QUE APOIARIAM ESSA LINDA FESTA QUE O PROPRIO RIO PARAGUAI NOS PROPORCIONA POREM E NECESSÁRIO PRESERVA LO FAZER O TRATAMENTO DO ESGOTO QUE CAI NO SEU LEITO Parabéns AOS MUtiroes DE LIMPEZA PARABÉNS FELIZ FIPE SOBRETUDO PLANTE ÁRVORES Frutíferas NATIVA PARA ALIMENTAR OD PEIXES POIS MUITAS ARVORES CAÍRAM DEVIDO O ASSOREAMENYO
11/07/2022 07:26:35

Por: Neuza Zattar
Cáceres
Parabéns pela excelente matéria que historiciza o Festival de Pesca e destaca as pessoas que consolidaram o festival.
11/07/2022 07:06:11

Faça o comentário para a noticia: FIPE – 39 anos de histórias inesquecíveis pescando emoções

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.