01/11/2021 - 06:00

Por: Antonio Costa / Zakinews

Cemitério São João Batista, morada eterna de ilustres cacerenses


Imagens do interior do Cemitério São João Batista
Fotos: Wilson Kishi

Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews

Entre os monumentos da história de Cáceres, o Cemitério São João Batista se constitui num Patrimônio Material de valor histórico e artístico, onde descansam personalidades da vida cacerense, quer políticos de passado marcante, ou outros personagens não tão famosos, mas que também tem a sua devida importância na vida da cidade.

Um dia antes da data dedicada aos mortos – Finados -, a reportagem traz nomes cujos restos mortais estão sepultados no referido Campo Santo. Outros certamente que não aparecerão no corpo da matéria, o que o leitor haverá de entender, que não somos infalíveis.

Assim, um ou outro nome não serão citados, mas nem por isso, deixarão de ter a sua história de trabalho e luta em prol da cidade ofuscados.

Basta que os familiares façam o registro utilizando o espaço dedicada aos comentários, ao final da matéria. Antecipadamente agradecemos a compreensão do estimado leitor.

Jazigo do Major João Carlos Pereira Leite, falecido em 03 de outubro de 1880, um dos primeiros sepultamentos ocorridos no Cemitério São João Batista, área doada pela família Pereira Leite

História

Consta que o Cemitério São João Batista é o primeiro a ser construído em Cáceres no ano de 1860, pela família proprietária da Fazenda Jacobina, Pereira Leite. Os primeiros enterramentos no local são de membros da própria família doadora da área destinada ao cemitério.

O local era antigamente a Travessa Jacobina na estrada que ligava a cidade de Cáceres à Cuiabá no século XIX.

As históricas pistas informativas acima, fazem parte do trabalho de fôlego da estudante Maria Solange Sá Leite, disponível na internet como tema de Dissertação encaminhado ao Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História – Unemat, 2018, sob a orientação do Professor Dr. Carlos Edinei de Oliveira. Intitulado A Cidade de Cáceres/MT e o seu Patrimônio Cultural: Produção de um guia didático-histórico.

Em 1881, a Câmara Municipal concedeu o privilégio perpétuo à família cujo Major João Carlos Pereira Leite faleceu um ano antes, ou seja, em 3 de outubro de 1880. O mausoléu da família tem lugar de destaque no referido cemitério.

Com 161 anos de existência, o São João Batista é abrigo indelével de diversas famílias de Cáceres. Além dos Pereira Leite – doadores da área – lá estão sepultados Dom Francisco Vilanova Torres (1893), conforme cita o pesquisador e turismólogo Ricardo Vanini que no início deste ano produziu um material para o setor de Imprensa da prefeitura, quando enfocava a reforma proposta pela prefeita Eliene Liberato o que ocorre no momento.

Ele lembra que também no local estão os restos mortais do Coronel José Dulce (1921), que no último 07 de junho, completou 100 anos de seu falecimento.

Dr. Joaquim Augusto da Costa Marques, que conforme Pedro Paulo Pinto de Arruda Filho, foi influente (Governador de MT no período de 1911 – 1915), advogado e político.

 
 Joaquim Augusto da Costa Marques, governador de MT no período de 1911 – 1915 está sepultado no Cemitério São João Batista
 Foto: Wilson Kishi

Dimas Alexandrino Esteves

Entre os túmulos mais visitados ao longo do ano, se destaca aquele que guarda os restos mortais do jovem Dimas Alexandrino Esteves, (nasceu em 15-01-1912) filho de Hildebrando Estes e de Maria Josepha Pereira Esteves. Ele faleceu (8-12-1925) antes mesmo de ter completado 14 anos, possivelmente de tétano.

Centenas de jovens estudantes recorrem ao local para pedir e pagar promessas. Há quem garanta que o jovem ali sepultado atende milagrosamente os pedidos.

Jazigo do menino Dims Alessandrino Esteves é um dos mais visitados
Foto: Wilson Kishi


Também políticos influentes da Cáceres antiga estão sepultados no local, conforme recorda o professor Antonio Miguel Senatore. Ele cita Dormevil Malhado da Costa Faria, Antonio Senatore, integrante da Raid Fluvial, Luiz Marques Ambrósio, falecido em 1974, doutor Leopoldo Ambrósio Filho (Dr. Nito), Dr. José Rodrigues Fontes, Aurélio Olegário de Campos (foi por longos anos o tabelião do 2º. Ofício), Dr. José Monteiro da Silva, médico natural de Cuiabá, e que prestou grande serviço na área da saúde, falecido no ano de 1971, aos 54 anos. Médico Dr. Sebastião, era considerado o médico dos pobres. Dona Teodora Melquíades de Miranda, José Lito Melquíades de Miranda.

Religiosos: Padre Paulo Maria Cabrol. Pároco da Igreja do Perpétuo Socorro, tinha o costume de entregar à domicílio a Revista Família Cristã e o Nosso Amiguinho, dedicado às crianças. Nasceu na França e faleceu em Cáceres em 29 de outubro de 1976.

O Pastor Benedito da Silva, cuiabano de nascimento e cacerense de coração. Principal líder religioso da Assembleia de Deus durante 47 anos. Faleceu em 10 de outubro de 1999 aos 72 anos.

Dona Fia do Apostolado da Oração (Ariadne Leal de Arruda e Silva), que faleceu em 2011 com 93 anos de idade.

Recorda o sobrinho Mariano Peregrino, que Dona Fia diariamente participava bem cedinho da celebração na Igreja do Perpétuo Socorro. Tinha o costume de sair da Rua Bom Jardim onde morava rezando o terço, passava pela Praça Duque de Caxias e continuava o trajeto na companhia da Dona Neuza Cardoso Leal, esposa do conhecido Zé Marinho. Dona Fia era exemplo de fé, dedicação e amor ao próximo.

Bi Santana

Manoel Santana Gomes, o Bi Santana, um dos maiores festeiros de São João que se tem notícia no Pantanal. Ele e a esposa Ana Rodrigues Gomes, a Dona Sinhara, por mais de 50 anos fizeram a grande festança alusiva ao santo do dia 24 de junho. Ele faleceu na data de 29 de abril de 2002, aos 81 anos. Ela seis anos depois.

Cruz totalmente artesanal trabalhado artesanalmente na cidade de San Ignácio/BO, doado por Jordão Lacerda em 2009 e fixada na entrada principal do Cemitério São João Batista pela equipe da Secretaria de Obras da prefeitura de Cáceres
Foto: Wilson Kishi


Cruz de aroeira trabalhada na Bolívia

Também no São João Batista está o jazigo da Família Lacerda. No local estão sepultados José Esteves de Lacerda (pai), ex-vereador e prefeito de Cáceres, faleceu aos 89 anos; a mulher Dona Madalena e o filho Jordão.

Este como forma de deixar um marco de fé e religiosidade cristã, encomendou três cruzes da madeira aroeira para um artesão boliviano da localidade de San Inácio, e colocou-as em três locais distintos: em sua fazenda, no Cemitério São João Batista e no cemitério de Poconé-MT.

Assim, Jordão Pedro Panoff de Lacerda, deixou marcada a sua fé cristã nas terras mato-grossenses. Ele partiu em 8 de abril de 2015.

Ana Maria da Costa e Faria (Nana), a primeira prefeita da história de Cáceres, indicada para ocupar o cargo pelo ex-governador Júlio Campos. Faleceu em 11 de junho de 2008, aos 70 anos.

Antonio Carlos Souto Fontes, o Dr. Antonio Fontes, médico, que por dois mandatos foi eleito prefeito de Cáceres: 1985 pelo PMDB e 1993 pelo PDT. Faleceu em 29 de outubro de 2000, aos 60 anos.

Ex-vereador Pedro Paulo Ourives e membros de sua família, a exemplo do próprio pai. Foi sepultado em 24 de março de 2010 aos 63 anos.

Renato Widal Garcia. Católico atuante, desportista que trabalhou pela construção do Estádio Geraldão no ano de 1974. Partiu deste mundo aos 82 anos no dia 25 de julho de 2013.

Os restos mortais de Hugolino Corbelino, de tradicional família cacerense, ele que faleceu em 15 de março de 2003, aos 96 anos, também estão no cemitério mais antigo de Cáceres.

Os familiares do comerciante Foad Gattas o sepultaram no São João Batista no ano de 1987. Ele então deixou este mundo aos 72 anos.

Manoel Felipe Cuiabano, Seu Teté. Comerciante falecido no ano de 1983 aos 88 anos. O antigo aeroporto levava o seu nome como uma justa homenagem dos cacerenses. Com a implantação da Cidade Universitária no local, a homenagem desapareceu.

Airton Fonseca Montechi. Vereador por duas legislaturas, vice-prefeito, presidente da Associação Rural de Cáceres por quatro mandatos, Delegado Representante da Famato – Federação da Agricultura de MT junto à Confederação Nacional da Agricultura. Faleceu em 15 de julho de 1985, então com 65 anos.

Milton Marques Curvo. Professor. Representante da Delegacia Regional de Educação e Cultura. Faleceu em 26 de julho de 1973, aos 57 anos.

O Cemitério São João Batista, um dos mais antigos do interior mato-grossense, abriga ainda outras personalidades que ajudaram no progresso e no desenvolvimento de Cáceres. Caso do paraibano Luiz Emídio Dantas que aqui chegou para prestar serviços no Banco do Brasil. Gostou, constituiu família e por aqui ficou. Ele faleceu em 3 de julho de 2012 aos 59 anos.

Imortal Natalino F. Mendes

Mais que um imortal da Academia Mato-grossense de Letras, o professor reconhecidamente foi e sempre será reconhecido como um patrimônio da memória e da história das terras de São Luiz e de Mato Grosso. Ele repousa na eternidade e seus restos mortais estão no jazigo da família desde a data de 23 de dezembro de 2011 quando deixou este mundo que tanto amava aos 87 anos.

Carlos Alberto Reys Maldonado

A Universidade do Estado de Mato Grosso lamentou a morte do professor Carlos Alberto Reyes Maldonado, 54 anos ocorrida na data de 30 de janeiro de 2016 em Cuiabá, às vésperas de completar 55 anos. Ele foi vítima de complicações de saúde e deixa mulher e três filhos.

Formado em Direito pela USP, Maldonado atuava há quase 30 anos na Unemat como professor de Ciências Sociais, junto ao curso de Direito no Campus de Cáceres.

O professor Carlos Maldonado tem seu nome marcado na história da Unemat, pois era o diretor da Fundação Centro de Ensino Superior de Cáceres (FCESC) no período de 1989 a 1993, momento em que a Instituição amplia sua atuação para outros municípios de Mato Grosso além de Cáceres. Ele também foi o responsável por formular e implantar o projeto de criação da Universidade do Estado de Mato Grosso, sendo seu primeiro reitor.

Ele ingressou na Instituição em 1986 como professor contratado, em seguida assumiu a função de coordenador da Instituição e após a criação da Unemat assume a função de reitor nomeado, sendo eleito em seguida para ocupar a função de reitor para comandar a Instituição em 1994 e ficou no cargo até 1996 quando renunciou para assumir a função de secretário de Educação de Mato Grosso, função que exerceu entre os anos de 1996 e 1997.

Também foi secretário de Educação de Cuiabá entre os anos de 2000 a 2004, e exerceu a função de coordenador regional da Unesco em Mato Grosso e coordenador da Consulta da Carta da Terra no Brasil.

A reitora da Unemat, professor Ana Di Renzo, decretou luto oficial e disse lamentar profundamente a perda. “A Unemat chora a morte do seu idealizador, mas a lembrança de que acreditar na utopia é condição para a mudança acontecer ficará para sempre no coração daqueles que com ele aprenderam a compreender o mundo. Maldonado tem seu nome impresso profundamente na história da nossa universidade”, disse a reitora. O campus Jane Vanini, onde o professor atuava também decretou luto oficial.


Adriano Silva partiu para a eternidade em 3 de junho de 2020

Adriano Silva era professor, advogado e ex-reitor da Unemat, onde atuou por 22 anos, período em que também foi professor e coordenador do curso de Direito. Ele presidia a Fapemat.

Em 2014, ele se candidatou a deputado estadual, conseguindo se tornar suplente. E chegou a assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa. Em 2018, candidatou-se a deputado federal, também ficando como suplente.

O Governo do Estado divulgou nota sobre a morte. “O governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes lamentaram profundamente o falecimento do amigo e gestor e prestaram condolências aos familiares”, diz a nota emitida na oportunidade do passamento do ilustre filho de Cáceres.

Outras famílias cacerenses sepultadas no São João Batista.

Poaieiro Constantino Maciel, falecido no Natal de 1984 aos 79 anos. Ângela Maciel e filhos Hermengáudio e Constantino Raimundo.

Mecânico Jony de Oliveira Fontes. Partiu aos 64 anos na data de 15 de setembro de 1987.

Jony de Oliveira Fontes, uma das grandes personalidades de Cáceres

Jazigo da família Pinto de Arruda

Vanini, Scaff, Atala, Garcia, José da Lapa, Zattar, Lacerda, General Barão, Costa Marques, Silva, Ferreira da Costa, Jorge da Cunha, Miralles, Alves da Cunha, Carrelo, Fanaia, Professor Lindote, Antonio Ourives, Castrillon, Nadir Dias, Dolinger e Dona Linda, Xá Lúcia, Pinheirinho e Dona Menina, Haroldo da Luz, Pedro Paulo Pinto de Arruda e Alice Saab, Vicente Pouso, Santana Sapateiro, João Deluque, Mamedes de Lacerda Cintra, Américo do Vale, Honor do Couto, Laury Giannechine, Sebastião Gomes Arruda, José Souto Faria (Zefão), Curvo, Leite de Souza, Pinto de Arruda, Arruda e Silva, Carvalho, Correa, Alcântara, Vieira, Sobrinho, Leal, Oliveira, Zócolli, Campos, Costa, Kida, Cruz, Ourives, Duarte, Malheiros, Barbosa, Maia, Lopes, Lemes, Almeida, Reis, Martins, Dantas, Ransay, Vilela, Viana Costa, Menezes, Lobo, Massad, Dias, Batista.

Entre dezenas de membros integrantes da colônia japonesa radicados em Cáceres, estão sepultados a família Sato (foto acima) e Nakamoto (foto abaixo)

Colônia Japonesa

No São João Batista está também membros das famílias nipônicas que vieram para Cáceres nos idos de 1950: Hayashida, Kawai, Ninomiya, Sato, Kishi, Kurossaki, Nakamoto, Endo, Matsushita, Miura, Tanaka, Nakahara, entre outras.

Como se observa, por ser o referido Campo Santo o mais antigo de Cáceres, 160 anos desde que foi criado, muitos são os filhos natos e adotivos que escolheram Cáceres para aqui morarem e desenvolverem suas atividades que ajudaram ao desenvolvimento desta terra. Hoje esses ilustres filhos descansam para a eternidade. Deus os tenham!


Jazigo da família Hayashida, a primeira família a fixar residência em Cáceres no ano de 1951
Jazigo da família Ninomiya 

Família Kawai tem vários entes sepultados no principal cemitério de Cáceres

Ademir: 35 anos dedicados ao cemitério

Com 161 anos de existência, um dos cemitérios mais antigos do estado, tem no servidor municipal Ademir Rezende Santiago, 62, um exemplo de dedicação ao serviço funeral público ao longo de 35 anos de trabalho.

Ele teve a sua carteira assinada em 1º de abril de 1987 e foi lotado para trabalhar no referido Campo Santo. Efetivou-se no cargo ao prestar concurso no ano de 1993.

No próximo ano, Ademir completa 35 anos de serviços dedicados ao Cemitério São João Batista e por uma década tem a companhia de sua esposa Neuza Aguilar - Foto: Wilson Kishi

Se orgulha de nunca ter faltado ao trabalho, só mesmo quando ficou doente com crise renal e teve que passar por uma cirurgia.

Ademir, o longo desses anos, além do companheiro Anselmo, tem a inseparável companhia da mulher Neuza Aguilar da Silva, que mesmo não tendo nenhum vínculo com a prefeitura, está sempre do seu lado dando a necessária ajuda.

Ela presta serviço no local e com isso, aumenta a renda do casal, com serviços de limpeza nos túmulos. A família dos entes querido lhe gratifica, principalmente nos dias que antecedem a data de 2 de novembro, finados, quando o serviço de limpeza nos túmulos aumenta consideravelmente.

O casal está feliz no trabalho que presta no citado Campo Santo. “Tranquilo e sossegado”, conforme ressalta Ademir.


ALGUMAS IMAGENS DO CEMITÉRIO SÃO JOÃO BATISTA 

Vista parcial do Cemitério São Joáo Batista - Foto: Wilson Kishi
Carvalho deixou muitas saudades de amigos e familiares 
Garcia, uma das mais tradicionais famílias de Cáceres
No primeiro plano, os saudosos Aderbal e Orfélia Michelis
Nos dias que antecedem o 02 de novembro, centenas de famílias fazem as limpezas e/ou restaurações dos jazigos de seus entes queridos
Ex-prefeito de Cáceres, o médico Dr. José Monteiro da Silva está sepultado no Cemitério São João Batista
No último dia 07 de junho, foi aniversário de 100 anos do falecimento do Coronel José Dulce
Vista parcial do Cemitério São Joáo Batista - Foto: Wilson Kishi
Vista parcial do Cemitério São Joáo Batista - Foto: Wilson Kishi
Saudoso Edmundo de Oliveira, foi proprietário da distribuidora Brahma em Cáceres. Ao lado a sua filha Rosângela, ambos foram vítimas de um trágico acidente próximo a Mirassol D´Oeste
Jazigo da família Widal Garcia, abriga a dona Clarinda e o ex-vereador Renato Widal Garcia
Jazigo da família Jorge da Cunha 
João Antônio Ferreira Souto se encontra em descanso eterno no Cemitério São João Batista
 
João de Castro Luz foi vereador em Cáceres no início dos anos 60
 

Comentários: ( 27 ) cadastrados.
Por: Vaney Lúcia Faria Leite
Cáceres
Parabéns pela reportagem. Nossos queridos estarão sempre em nossa lembrança. Mas, não vi referência ao túmulo do coronel Joaquim da Costa e Faria, que foi doado pelos moradores da cidade na epoca de seu falecimento, por ser pessoa querida e benevolente. Túmulo todo em mármore na entrada principal.
04/11/2021 08:43:17

Por: elisete
caceres
muitas historias dentro desse lugar, muitas familias envolvidas....que bom que vcs trouxeram essas homenagens 👏👏👏👏👏👏
03/11/2021 10:17:06

Por: GILCE DA SILVA COSTA
Várzea Grande
Excelente Matéria!!! Com muita responsabilidade , preservando a memoria Cultural do nosso povo, e a nossa cidade amada.
02/11/2021 19:42:14

Por: Amarildo Batista
Cuiabá
Parabéns pela importante reportagem, gostaria de lembrar que neste campo santo também repousa meus familiares, em suas memórias vou citar dois. Osvaldo Batista (vereador e delegado de polícia), e Jane Maria Batista flores....
02/11/2021 18:45:21

Por: Inês Maria Carneiro Geraldes Garcia
Caceres
Parabéns pela excelente matéria relembrando os nossos entes queridos,quantas pessoas que prestaram relevantes serviços à nossa querida Cáceres.Parabens prefeita Eliene pelo belíssimo trabalho.A nossa cidade merece.Lembrando também da minha mãe TEODORA DA CRUZ GERALDES que sempre estava a frente dos cânticos diários na missa na Catedral ,MEU PAI ROGERIO CARNEIRO GERALDES QUE também se encontra no cemitério São João Batista.A nossa família agradece.
02/11/2021 10:04:15

Por: Edna Sebastiana da Silva Custodio
Cáceres
Muito bonita a reportagem com os nossos antepassados,temos que lembrar que a Familia Costa e Faria e o Coronel Josquim da Costa e Faria também foi enterrado nesse cemitério,meu pai que foi Chefe da 4a Ciretran de Cáceres por 9 anos e nunca foi reconhecido nesta cidade,ele que indiretou o trânsito aqui em Cáceres que era uma verdadeira bagunça.Mas ta bom a Prefeita Eliene está de parabéns,obrigada prefeita.
01/11/2021 19:59:15

Por: Gláucia Matsumoto
Cáceres
Parabéns pela matéria. Belissima homenagem aos entes queridos...cada um com sua história. Entre eles tbm se encontra meu pai...
Vamos agora fazer nossa parte...reestruturar o cemitério para que todas essas memórias e histórias sejam mantidas. Obrigada .
01/11/2021 18:19:43

Por: Marionely Araújo Viegas
Caceres
Parabéns pois essa matéria é muito importante para o povo da cidade. Ali descansam meus familiares
Quando lá fui deixar meu pai, Onely Viegas, eu disse "ATE BREVE MEU PAI, UM DIA VAMOS NOS ENCONTRAR". Já documentei que quando acontecer quero ali ficar
01/11/2021 17:31:17

Por: Rosalia das Graças MACIEL
Cáceres Mt
Materia de grande relevância que cita com carinho as famílias que tem os seus entes queridos sepultados neste campo santo.
Quero também agradecer a revitalizacao deste cemiterio que por muitas décadas ficou esquecido ou porque nao dizer abandonado.
A familia MACIEL sente-se honrada ao deparar com os nomes dos nossos pais fazendo parte deste relato.
PARABÉNS ao escritor ANTONIO COSTA pelo excelente trabalho justamente as vesperas de FINADOS.
01/11/2021 15:14:01

Por: Francisco Do Prado S. Junior
Cáceres
Mais uma reportagem importante da dupla kishi e Toninho Costa, a gestora da nossa cidade, teve o respeito e sensibilidade, de estar reformando esse patrimônio do nosso município.
01/11/2021 14:59:02

Por: Maria José Soares Nicodemos Bruzzon
Caceres
Bela e eficácia a reportagem sobre o referido patrimônio histórico cultural. Me recordo ainda quando na ativa na sala de aula, fizemos um projeto sobre o local e não encontramos nenhuma fonte bibliográfica, bem como ficamos perplexos de vê um local totalmente depredado, mesmo com os serviços prestados pelo funcionário Ademir que não media esforços para manter o espaço"vivo". Fico imensamente feliz com a matéria desse conceituado jornal, por não deixarem morrer a memória e história de Cáceres. E parabéns a gestão da Prefeitura por terem esse olhar e carinho com os nossos entes queridos que"ali residem", reformando e dando uma outra repaginada nesse espaço público patrimonial.
01/11/2021 13:36:59

Por: Maria Sueli Vieira Mattiello
Cáceres MT
Que matéria linda....Parabéns, a todos envolvidos nesta reportagem tão significativa para nosso dia de finados não poderia ser mostrado de maneira mais digna e louvável ,lembrar de personagens tão importante para nossa HISTÓRIA, de Cáceres - Que o céu esteja em festa pela bela homenagem.
01/11/2021 12:48:12

Por: Prof.Janio Batista de Macedo
Campo Grande MS
Muito importante esta matéria sobre o Cemitério São João Batista o histórico acolhedor das sepulturas de pessoas simples e importantes no cenário político e religioso de minha amada cidade. Tenho costume de visitar esse local toda vez que vou a Cáceres. É um costume que peatico para refenciar tantas pessoas que conheci na minha infância. O Site Zakinews trás boas recordações de tantos nomes citados. Feliz em saber da reforma desse Cemitério e principalmente pelo estudo e artigo feito pela academia da Universidade Estadual de MT. Quero neste dia que antecede o dia dos finados agradecer ao bom Deus por todas essas pessoas aí sepultadas. Gratidão ao Wilson Kishi, administrador deste importante veículo de comunicação e ao Jornalista Antônio Costa, poeta e escritor que neste artigo oportuno trás para toda comunidade tantas lembranças e saudades.
01/11/2021 12:08:32

Por: Geraldo Leão da Silva
Cáceres
Resgatando as memórias das personalidades ilustres cacerense, recordo aqui o ilustre Sebastião Xavier de Alcântara Batica ex presidente do parlamento municípal de Cáceres.
01/11/2021 11:54:15

Por: Vantuir
Campo Grande
Isto é história. Um povo que não tem memória nunca será uma nação. Parabéns pela bela matéria ZakiNews.
01/11/2021 11:43:37

Por: WALTER DA SILVA PEDROSO
Cáceres MT BRASIL
O senhor Aurélio Olegário de Campos era o dono do Cartório do primeiro Oficio e não do segundo como consta na nota. Inclusive continua até hoje com a sua filha Marília.
01/11/2021 10:31:14

Por: Solange Velozo
Cáceres
Fantástico, parabéns! O jornal “Zakinews” e seus organizadores vem resignificando cada detalhe da História da nossa cidade.
01/11/2021 10:20:30

Por: BRUNO HOMEM DE MELO
Cuiabá
Linda reportagem.. histórica.. nossa futura morada.. lugar de paz
01/11/2021 09:55:06

Por: Celia Regina dos Santos Costa
Niterói - Rio de Janeiro
Não pode deixar a história morrer. Vários cemitérios mundo afora são pontos turísticos como o da Recoleta em Buenos Aires ou Pére Láchese em Paris.
01/11/2021 09:09:28

Por: Domingos Sávio Lacerda Cintra
Cuiabá
Parabéns pela bela reportagem, lembranças de nomes ilustres que muito fizeram pela nossa querida Cáceres, que bom que o poder público está reformando esse patrimônio da cidade esquecido durante muitos anos, ali descansam muitos Cacerenses e filhos adotados pela cidade que contribuiram para o desenvolvimento de Cáceres.
01/11/2021 09:06:35

Por: Marcia Regina
Caceres
Parabens, prefeita Eliene Liberato, pela belissima reforma do cemiterio de caceres, deu um belo cherme em nossa cidade, nunca na historia de caceres tiveram esse olhar no cemiterio, agora os parentes que ali encontra-se seus entes querido, procura limpar aos redores de seus tumulos!
Parabenssss!
01/11/2021 08:48:44

Por: JOEL de Lara Franco
Guarulhos - SP
Parabéns! Excelente reportagem lembrei da minha juventude. Estive no cemitério uma vez pedindo ajuda ao considero por nós na época de São Dimas. Era uma prova de matemática.
01/11/2021 08:27:02

Por: Ana Guilhermina Brant potiguara
Cáceres MT
Parabéns pela reportagem, vejo que ficou no esquecimento o nome de minha mãe, Morenita Pereira Leite enterrada no fundo do cemitério , Grade dos Pereira Leite, é também meu pai que gerenciou a xarqueada Descalvados por mais de 22 anos, conhecido como José Octávio b. Brant., enterrado junto com minha mãe sendo seu desejo.
01/11/2021 08:12:46

Por: NeuzaZattar
Cáceres
Excelente matéria que reúne nomes e feitos de autoridades, famílias cacerenses que se foram é que hoje ficam as saudades. Parabéns pela pesquisa.
01/11/2021 08:10:08

Por: Mariano Leal de Paula
Cuiabá-MT
Rica matéria sobre o espaço guardião de tantas pessoas ilustres que amaram e fizeram história na nossa querida Cáceres.
Oxalá, o Poder público dê um pouco mais de atenção com o patrimônio dessa eterna morada!
01/11/2021 08:07:16

Por: Ana Geralda de Andrade
Cáceres MT
Muito bom! Ótimas recordações, pena que esse patrimônio público está deixando muito a desejar no contexto administração pública parabéns para os funcionários que ali presta serviços a comunidade 👏👏
01/11/2021 08:02:54

Por: Olga Castrillon
Caceres
Que reportagem fabulosa para este dia! De parabéns o poder público pela reestruração dos muros do nosso histórico cemitério! Agora cabe à população organizar o espaço da sua família. Essa tarefa cabe a cada uma. Vamos manter a memória dos antepassados que nos constituíram!!!
01/11/2021 08:00:02

Faça o comentário para a noticia: Cemitério São João Batista, morada eterna de ilustres cacerenses

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.