28/06/2021 - 07:00

Por: Antonio Costa / Zakinews

Zé da Lapa: ex-vereador, empresário de sucesso e dono de cinema


José da Lapa Pinto de Arruda

Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews

 

Ele deixou sua família e uma legião de amigos há oito anos. Hoje, são muitas as lembranças daqueles que com ele conviveram durante os seus 94 anos de vida, quando sempre procurou denotar amor e carinho a todos que o cercavam no dia a dia, seja para um bate-papo ou mesmo para uma realização comercial num de seus empreendimentos.

José da Lapa Pinto de Arruda, o Zé da Lapa da Praça Barão do Rio Branco, da Vila José Bonifácio, do Cine São Luiz. É ele o personagem que o Zakinews enfoca essa semana, em continuidade aos registros dos ilustres filhos de Cáceres que deixaram um legado de trabalho e atenção ao desenvolvimento da cidade.

Foi vereador por duas legislaturas nos períodos de 1955/1959 e 1963/1967 numa época em que o vereador não recebia proventos. Seguia a corrente política da extinta Arena, posteriormente comandada por Júlio Campos e o ex-senador José Benedito Canellas.

Zé da Lapa e seus empreendimentos: Casa Ideal, Vila Bonifácio e Cine São Luiz


Construiu a Vila Bonifácio na Praça Barão do Rio Branco no início dos anos 60. Uma alternativa encontrada para atender uma clientela que chegava para trabalhar em Cáceres e que tinha dificuldades em encontrar imóveis para alugar. A maior parte dos inquilinos era de bancários e militares que vinham servir no 2º Batalhão de Fronteira.

Em 1966, com 44 anos, Zé da Lapa inaugura a moderna e bem equipada Casa Ideal, também na Praça Barão, ao lado de sua residência, uma das maiores do interior do estado. Permaneceu com suas portas abertas durante 25 anos, com uma cativa clientela local e regional, especialmente de consumidores que vinham de outros centros para abrir as chamadas glebas após a Ponte Marechal Rondon.

Em continuidade a sua visão empresarial, José da Lapa inaugurou aquele que se tornou um dos maiores cinemas do interior do Brasil - o Cine São Luiz. O seu primeiro filme rodou no dia 27 de fevereiro de 1971. Empreendimento arrojado e que marcou trajetória de sucesso durante pelo menos duas décadas.


João Deluque e José da Lapa, em Petrópolis-RJ

José da Lapa

O Sr. José da Lapa, filho de José Bonifácio Pinto de Arruda e Adelina Pinto Fanaia, nasceu na então capital federal, o Rio de Janeiro, em 14 de janeiro de 1919, onde a família se encontrava para viagem a Portugal. Porém, devido a pandemia da gripe espanhola, eles ficaram retidos na capital até melhorar a situação.

“Meu pai nasceu no bairro carioca da Lapa, nome que foi incorporado ao seu para não ser confundido com seu primo José Pinto de Arruda”, explica o filho Luiz César.

A família retornou a Cáceres após a melhora da pandemia com o pequeno José, passando toda a infância e parte da adolescência.

Quando então foi estudar no Liceu Cuiabano na capital do Estado, sendo colega do famoso contador Aecim Tocantins, se encantando com essa área profissional.

Vale ressaltar que nessa época as viagens eram longas e penosas até Cuiabá, o lombo do cavalo era o único meio de transporte.

Ainda estudante na Academia do Comércio. Com amigos na praia de Icaraí, em Niterói-RJ


Mudança para o Rio de Janeiro

Zé da Lapa mudou-se para o Rio de Janeiro no início da década de 1940, onde serviu o exército brasileiro e cursou a então Academia do Comércio na Praça 15, dirigida pelo Sr. Cândido Mendes, se formando em contabilidade.

Trajetória

No retorno a Cáceres, exerceu a função de "guarda livros" na prestigiada Casa Pinho, sempre sonhando empreender no ramo do comércio.

Em 1952 montou um comércio simples junto com uma barbearia, com o nome de Casa Ideal, empreendimento que em alguns anos se tornou um grande negócio da família.

Seis anos depois, construiu o prédio atual, transformando o salão térreo na Casa Ideal, residência no pavimento superior e, assim, cresceu contando com a preciosa ajuda de seu braço direito, o gerente Sr. Haroldo Fanaia. O comércio foi gerando frutos, graças a sua capacidade empresarial e tino comercial.

Em 1960, inaugurou a Vila Bonifácio na Praça Barão do Rio Branco, com 26 apartamentos, empreendimento que já alcançou 60 anos desde que foi inaugurado e, até hoje, mantém com os inquilinos.

O prédio maior é a Vila Bonifácio, conhecido como Vila do Zé da Lapa, localizada na Praça Barão do Rio Branco
Foto superior: Fachada da Casa Ideal; na fotro inferior: o empresário Zé da Lapa no interior da loja


O sucesso da Casa Ideal

De acordo com informações do filho Luiz César, a Casa Ideal acompanhou o processo de desenvolvimento de Cáceres e da região. No início, junto com a barbearia, o proprietário Zé da Lapa quis fazer um tributo ao Sr. Medina, cabeleireiro que fez história em Cáceres.

A Casa Ideal vendeu de tudo: guaraná em pó, cigarros, roupas, discos de vinil, televisão, geladeiras, rádios, bicicletas e tudo o que fosse novidade.

A reportagem ouviu dois ilustres cacerenses das antigas, Pedro Paulo Pinto de Arruda Filho, da saudosa Casa Rio Branco, que revelou que teve um certo período que a referida Casa Ideal se destacou no cenário nacional como aquela que mais vendia bicicleta Monark, guardando a devida proporção populacional.

Pedrinho, como é conhecido, também disse ter comprado uma espingarda carabina automática quinze tiros no referido comércio que além de oferecer uma gama de diversos produtos, comercializava armas e munições.

Por outro lado, segundo Ruse Torres, seu pai José Villanova Torres, adquiriu na Ideal uma geladeira à querosene, que era uma verdadeira novidade e relíquia da época. “A Casa Ideal vendia não só para Cáceres, mas também para todas as cidades vizinhas, que experimentavam uma efervescência econômica enorme”, disse.

Interior da sala de cinema do Cine São Luiz no dia da inauguração

Cine São Luiz

Em 27 fevereiro de 1971, Zé da Lapa dá outro grande passo e inaugura o Cine São Luiz, com o que existia de mais moderno no cenário nacional, capacidade para 790  pessoas. Tudo isso funcionando interligados: casa, comércio, cinema, vila, etc. (veja matéria alusiva ao cinema no link...)

A Casa Ideal encerrou suas atividades em meados de 1986, após 15 anos de atividade, deixando a cidade sem cinema até o surgimento do Cine Xin, instalado no mesmo local, em atividade até os dias atuais.


Bruno e Daniela (de pé) com Nádia, avós Zé da Lapa e Elina e César


Família

José da Lapa casou-se em 14 de janeiro de 1953 com a Sra. Elina Rondon, filha de Antonio Alves Rondon e Oliva Rondon de Mello. O casal teve dois filhos, Aparecida Nátia Pinto de Arruda e Luiz César Pinto de Arruda.

Ele sempre gostou de Cáceres e soube dar valor à vida. “Foi um homem simples, católico devotado. Como ser humano marcou de forma definitiva a alma de seus familiares e amigos, demonstrando para todos como é maravilhoso viver e envelhecer de forma honrada e íntegra, sentado em sua cadeira de balanço na porta de casa, rodeado das pessoas que amava, pescando ou nadando nas aguas do rio Paraguai”.

Casal Elina e Zé da Lapa Pinto de Arruda = Foto: álbum de família e arte Paulo Fanaia


Clube Humaitá

O caçula Luiz César descobriu nos guardados (relíquias) do pai anotações que apontam ele como um dos fundadores do Clube Humaitá e ex-ponta direita do Azul e Branco da Coronel José Dulce, como era carinhosamente chamado pelos seus fanáticos torcedores.

Na sociedade, estava sempre apto a colaborar com as promoções beneficentes. Foi contribuinte permanente por décadas do Hospital O Bom Samaritano, Apae, Lar das Servas de Maria (Abrigo dos Velhos).

Lembranças

A reportagem ouviu algumas pessoas que conheceram o empresário, caso de Lúcio de Oliveira Filho, ex-vereador e que reside em Cuiabá. “Conheci o Sr. José da Lapa em meados de 1976 quando trabalhava no extinto Banco Financial do qual era cliente. Naquela época, além do Cine São Luiz, José da Lapa era proprietário da Casa Ideal que, por sua vez, era o maior vendedor de bicicletas de Cáceres e região. A loja era gerenciada pelo Sr. Aroldo Fanaia”, conta Lucio. 


João Bosco de Oliveira, ficou conhecido como João da Lapa, pela longa amizade que tem com a família

José da Lapa Pinto de Arruda, ao longo da sua vida empresarial, também teve outros funcionários que ultrapassaram a barreira de serem apenas colaboradores e passaram a ser verdadeiros amigos, considerados membros da sua família, como João Bosco de Oliveira, Suely e Felício Kawai.

Hoje, João Bosco é taxista e também conhecido como João da Lapa devido aos 38 anos presentes na vida do homenageado. João trabalhou no cinema, tomou conta da Vila, foi motorista e companheiro de pescaria.

Ele relembra que seu patrão era muito generoso com sua família e costumava perguntar como andava os estudos dos filhos, sempre querendo ajudar.

A filha do João, Adalbiana Oliveira, servidora da prefeitura de Cáceres, contou ao Zakinews a grande amizade que seu pai tinha com o Zé da Lapa. “Era mais que patrão, era amigo, um pai para o meu pai”, revelou.

Uma rotina que João tinha com a família era o compromisso de levar, todos os dias, antes do almoço, o Zé da Lapa até o Iate Clube para nadar nas águas do Rio Paraguai.

Outra lembrança de Adalbiana é a saudade do bolo de nata e leite com Toddy que a dona Elina fazia para ela e seu irmão. “Seu José da Lapa e dona Elina foram meus avós do coração, sempre muito carinhosos”, contou.

Mesmo após o falecimento de seu patrão e amigo, em 2013, João ainda mantém vínculo com a família Pinto de Arruda. É a amizade plantada que ainda perdura entre eles.


Suely Kawai com seu esposo Felício (de pé) e filho Gleidson, em pose com o casal Elina e seo Zé da Lapa

A contadora Suely Rondon Kawai (in memorian), trabalhou por quase 30 anos com o empresário da Praça Barão. Iniciou na Casa Ideal, posteriormente, fez a contabilidade do Cine São Luiz e cuidava das locações das kitnets da Vila José Bonifácio. Seu esposo, Felício Teiiti Kawai, também teve um período de 10 anos como colaborador junto ao cinema da família do Zé da Lapa.

O calçadão da Praça Barão do Rio Branco era presença frequente do casal Zé da Lapa e Elina que recebiam amigos para um bom bate-papo

Porta do Zé da Lapa - Patrimônio público

Convidado a falar sobre a trajetória vitoriosa do tio, o engenheiro aposentado Paulo César Homem de Mello, enalteceu a trajetória vitoriosa do empresário de sucesso que marcou época na vida de Cáceres.

Revela que foi o autor dos anteprojetos das edificações idealizadas pelo tio e que mais tarde tornaram-se realidade: a casa comercial e o cinema.

Paulo ressalta o grande círculo de amizades mantidas pelo empresário, “desde pessoas mais simples a políticos famosos e gente de sucesso, em visita a Cáceres, tinham que passar pela porta do Zé da Lapa sentar e conversar”.

Virou um hábito salutar a roda de bate-papos no local. Paulo defende a ideia de que a Praça Barão deveria virar patrimônio público, dada a história que ali foi vivida ao longo de marcantes e significativos anos na vida de Cáceres.

A família reunida: Zé da Lapa com a esposa Elina, filhos Nádia e César, o neto Bruno com a esposa Daniela e os bisnetos


Bondade, sua principal característica

No encerramento da matéria, a reportagem ouviu o neto do homenageado, o Procurador do Estado, Bruno Homem de Mello. Emocionado, ele lembrou de cada uma das marcantes passagens vividas ao lado do avô. Das pescarias no rio Paraguai, dos passeios na Chapada dos Guimarães, San Mathias, Peraputanga e por aí vai.

“As melhores lembranças de meus avós. Todos com 90 anos e eu na companhia deles, sinto-me um privilegiado por desfrutar dessas maravilhosas companhias num período muito significativo e marcante”, disse Bruno.

Bruno enaltece as qualidades do avô, descrevendo-o como um homem de bom coração, do bem, ser humano de alma boa, caridosa e bondosa. Um empresário bem-sucedido, ativo, que sentia o maior prazer em morar em Cáceres. “Nunca perdeu a alegria de viver, tinha alegria pela vida, gostava de estar bem próximo dos familiares, de conversar e receber os amigos. Mesmo com a idade avançada, gostava de festas, de confraternizar e celebrar a vida. Era verdadeiro líder da nossa família”, ressalta Bruno.

Com esse carinho e amor pelos familiares e amigos, que Zé da Lapa festejou seu último aniversário, aos 94 anos, dias antes de partir definitivamente para a Morada Eterna.

 

 

  

 

 

 

Comentários: ( 26 ) cadastrados.
Por: JULIO JOSE DE CAMPOS
Cuiaba
Fiquei feliz e emocionado ao ler a reportagem da biografia do saudoso amigo é grande empreendedor Zé da Lapa, um dos visionário do desenvolvimento econômico e social de Caceres. Tive o previlegio de conhecer e conviver com este ilustre cidadão desde 1970 quando recém formado Eng.agrônomo fui trabalhar na CODEMAT com o então Vereador Benedito Canellas no Projeto de Colonização da Região Oeste de MT, cujo sede era em Caceres.Ficamos amigos e depois tornou-se meu aliado político, me ajudando a ser Deputado federal ,Governador e Senador de Mato Grosso. Presto as minhas homenagem póstumas a esse ilustre cidadão Jose da Lapa Pinto de Arruda.
28/07/2021 08:00:25

Por: Thiago Deluque
Cuiabá
Parabéns Toninho e Kishi pela emocionante e merecida homenagem a esta icônica figura que marcou época e que sempre acreditou e amava Caceres. A história e o legado dos bons tem que ficar registrado para posteridade. Foi empresário visionário e bem sucedido, mas ao mesmo tempo bondoso, caridoso, humilde, e preocupado com todos que o cercavam. Tratava a todos da mesma maneira, desde o mais humilde serviçal à maior autoridade da cidade. Uma referência de vida, de retidão de caráter e um ser humano especial. Como sobrinho vivenciei apenas parte da sua história, que agradeço a Deus ter partilhado da sua convivência e seu legado de vida. A Praça Barão do Rio Branco não é mais a mesma sem a "porta do Zé da Lapa". Patrimônio imaterial de Caceres.
30/06/2021 01:02:13

Por: Magaly Rouse Cutajar
Malta
Gostava muito de conversar com ele, muito bem humorado. Com certeza está em um bom lugar.
29/06/2021 12:50:23

Por: Nilson Cunha de Macedo
Cáceres
Muito bonita e justa a homenagem ao Seu Zé da Lapa. Fiquei emocionado com tantas lembranças boas do seu Zé. Difícil encontrar uma palavra para definir José da Lapa, mas fico com a do seu filho César, Bondade. Vou continuar chamando-o de seu Zé, como fiz a vida inteira, pois fomos vizinhos durante toda a minha vida. Passei a infância brincando na casa dele com o César e o Dito (filho de Aninha, a cozinheira).
Além das suas qualidades de empresário de sucesso, chamava a atenção o quanto ele se preocupava em ajudar os outros, a nós, os vizinhos, nem se fala. Seu Zé era um homem extremamente precavido, me lembro que, desde criança, na casa dele já tinha pára-raios. Tinha um extintor de incêndio que ficava pendurado na parede do corredor. Um dia, uma moradora da vila, esposa de um militar, estava cozinhando quando, de repente, pegou fogo na mangueira do botijão de gás e a chama chegou até o mesmo. Com a pressão do gás, o fogo chegava quase ao teto, a mulher desesperada, gritando e os vizinhos também apavorados, já entrando em pânico. Chamaram o Seu Zé e ele foi correndo. Eu era um menino de uns 12 anos e fui correndo ver, quando cheguei lá, estava Seu Zé tentando acalmar a todos. Então, ele me mandou buscar o extintor, fui correndo e voltei esbaforido de cansado. Zé da Lapa pegou o extintor, chegou bem próximo do botijão, apontou para a base do fogo e disparou o extintor, na hora o fogo apagou. Ele era assim, destemido e arrojado, uma das suas grandes qualidades. Há pouco tempo, estava no Hospital Regional conversando com um paciente, amigo meu, que estava na maca, no corredor e fiquei surpreso quando ele me disse que foi Zé da Lapa quem pagou todo o seu estudo em Campo Grande. Ele se tornou professor de Português e lecionou durante toda a sua vida aqui em Cáceres.
Eu conversava muito com Seu Zé, na porta da casa dele e ele nunca me falava dessas coisas, nunca dizia que ajudava esta, ou aquela pessoa. Fazia o bem sem dizer a quem.
No final, já com seus 93 anos. à tarde, ele ficava sentadinho na sua intocável cadeira de balanço, na porta de sua casa. Às vezes eu saía tarde do meu consultório, alí pelas 9 da noite e ele estava lá, me chamava para um bate papo de final de tarde, e era sempre assim, a gente não passava por ele sem ser chamado para uma conversinha, um comentário...
Seu Zé, pessoas como o Sr. sempre fará muita falta.
29/06/2021 08:44:24

Por: Maria Sueli Vieira Mattiello
Cáceres MT
Como não participar desta história de vida, como testemunha de alguns fatos: - Cheguei para morar em Cáceres no ano de 1973, no início foi um pouco complicado vinha do sul na minha cidade natal tinha três cinemas...a cidade era bem diferente, em fim, tudo me deixava assustada mas o CINEMA SÃO LUIZ , foi um consolo, tudo foi na mesma época . -Logo na Faculdade antigo IESC hoje UNEMAT, minha colega Aparecida Nátia, também filha do homenageado o Sr. José da Lapa. - Mais tarde fui a professora de EMC no ISM do aluno Bruno Homem de Melo- pequeno detalhe: - Conversa de professora e mãe, falei: - Natia , seu filho deverá ser um DIPLOMATA..... Sempre tinha algo diferente que me chamava muito a atenção, hoje ao saber do cargo que ocupa de Procurador do Estado, me deixa muito feliz. - Mas concluo : " A fruta nunca cai longe do pé " Parabéns a todos da familia ZÉ da Lapa, Cáceres se orgulha de todos.
28/06/2021 20:24:16

Por: Bete
Cáceres-MT
Homenagem linda e muito especial. Cáceres abraçou tanta gente ja, Zé da Lapa demonstrou mais amor pela cidade que muitos cacerenses de nascimento...Muita honra por ter conhecido ele ainda em vida e agora parte da sua trajetória pela matéria. Parabens Antonio Costa!
28/06/2021 20:23:21

Por: José Carlos Fanaia Teixeira
Cuiabá
Zé da Lapa foi um empresário de sucesso , um cidadão comprometido com a cidade , uma pessoa simples , bondosa , alegre , sempre de bem com a vida , esportista e querido por todos os seus amigos e familiares de todas as idades , amado por seus filhos , esposa, sobrinhos , irmãos , primos. Sempre dedicado e preocupado com aqueles que conviviam com ele , se entusiamava com o sucesso das pessoas. Um ser humano especial. A porta de sua acolhedora residência era um ponto de encontro de cacerenses e filhos de Cáceres que voltavam saudosos em visita a nossa querida terrinha .
A atual praça Barão do Rio Branco , poderia se chamar , Praça José da Lapa Pinto de Arruda.
Parabéns Zakinews pela homenagem justa e merecida!
28/06/2021 19:36:35

Por: Domingos Sávio Lacerda Cintra
Cuiabá
Mais uma bela e merecida homenagem a esse homem que deixou seu legado na cidade de Cáceres, era criança mais lembro muito bem da casa ideal e do cine São Luiz, onde aos domingos após a missa o matinê era certeza, parabéns zakinews, sempre mostrando e enaltecendo essas figuras icônicas e que marcaram gerações em Cáceres.
28/06/2021 18:33:09

Por: CHRISTIAN DAVES GUIMARAES ROSA HOMEM DE MELO
Cuiabá
Convivi pouco mais de 17 anos com Tio José, parece muito, mas foi pouco para que eu aprendesse muito mais com ele, saudoso Tio, das rodas de conversa, das horas de contos de prosa.
Sempre vi no doce homem que me acolheu no seio de sua família com tanto carinho, uma fortaleza, um homem que exalava dignidade, humildade, caráter, respeito.
A Deus agradeço pela chance de ter convivido com ele!
28/06/2021 17:36:50

Por: PAULO SERGIO FANAIA TEIXEIRA
Cuiabá
Meu querido padrinho Zé ! Que saudade !! Como eu gostava de participar das reuniões na " porta de zé da lapa ". Foi dele que ganhei a minha primeira bicicleta e foi nela que pedalei em um passeio que fizemos até o facão, com toda a família,o padrinho Zé adorava esses passeios. Tinha um grande coração ! Parabéns Zakinews pela linda homenagem ! Merecida ! A madrinha Elina , Nátia e Luiz Cesar o meu carinho.
28/06/2021 17:11:21

Por: Vilmar
Cuiabá
Parabéns amigo Wilson Kishi, que ´presente especial a família Pinto de Arruda. Zé da Lapa fez história, fez nome e merece ser relembrado sempre. Meu pai foi um grande amigo dele, boas lembranças da adolescência... Abraços, Vilmar e família
28/06/2021 16:44:55

Por: Salete.
Caceres
Linda homenagem ao senhor ze da lapa, figura icônica cacerense...o coração apertou com a foto do cinema, muitas lembranças boa...
28/06/2021 16:12:33

Por: ze mario
caceres
privilegio ter conhecido seu ze da lapa, muito respeito e carinho pela familia.
28/06/2021 13:46:10

Por: Claudia
Cáceres
Familia abençoada por DEUS, bons tempos de Casa Ideal e Cine São Luiz, quando tudo era mais simples, as pessoas eram mais amigas e sabiam partilhar bons momentos...as lembranças do passado são a melhor coisa que nós temos...saudades...
28/06/2021 13:33:02

Por: Aroldo Fanaia T Filho
Cuiabá
Grande pessoa e grande empresário, Zé da Lapa foi um empreendedor que sempre acreditou em Cáceres. Foi também um grande companheiro de pesca. Embarcados no velho e resistente tapajós, fizemos boas pescarias na chimbuva e boca do cabaçal, sempre com a sua garrafa térmica com um bom mate. Ótima reportagem, como sempre.
28/06/2021 12:16:37

Por: JOSUE DA SILVA PAES DE PROENCA
Sacramento/ Minas Gerais
Zé da Lapa, Eu sempre fui e sempre vou ser seu fã Sr.: José da Lapa, sempre serviu de inspiração e agora lendo e sabendo um pouco mais da sua história agora, nesta linda homenagem, vejo que está ai um exemplo a ser seguido!
A família célula mater da sociedade, é uma construção cultural, sempre numa perspectiva histórica. A instauração
de um conceito de família na tradição cristã.
28/06/2021 11:52:29

Por: Paulo Cesar Homem de Melo
Cuiabá
Tio José, muito ligado a ele desde a infância, desde levar as alianças no seu casamento com Tia Elina,desde a juventude,a idade adulta,profissional,na maturidade e no envelhecimento, enfim sempre. Tudo que foi dito por todos se soma à aquilo que sinto, e que não consigo verbalizar ante sua importância em todas as fases da minha vida ,e que certamente será na vida de seu neto e bisnetos ,pois seus exemplos são eternos. Saudades do meu querido e inesquecível Tio !
28/06/2021 11:43:55

Por: Edmilson da Rocha
Caceres
Cáceres só é Cáceres porque teve pessoas corajosas como Zé da Lapa para investir no progresso. Um cara destemido e que acreditava no potencial daqui,é uma história que merecia um livro, serve de inspiração pra todos nós.
28/06/2021 11:18:27

Por: Ricardo da Costa Marques
Cáceres mt
Foi na casa ideal que meu pai comprou minha primeira bicicleta, uma Caloi que tenho até hoje, e somos muito amigos da família do Sr José da Lapa e Dona Elina e filhos e neto
28/06/2021 11:00:28

Por: Aparecida Natia Pinto de Arruda
Caceres MT
Eu, e a minha familia so temos a agradecer a voce Kishi e Toninho por essa comovente homenagem prestada ao meu amado pai, entao conhecido como Ze da Lapa. E um privilegio ser filha de um ser humano tao especial !!! Nos deixou um legado de um ser humano.impar!!!! Como amava Caceres, sua familia,seus parentes, amigos,companheiros de jornada, nessa sua exemplar trajetoria de vida !!!!! Agradeco tambem as pessoas que junto com ele o ajudaram a tecer essa linda jornada de vida. Ele nos deixou um legado de vida como exemplo para seus descendentes, amigos e todos que conviveram com ele. Saudades dessa pai tao presente!!!!!!!
28/06/2021 10:48:26

Por: Paulo Leite
Cáceres
Os bons merecem destaque, parabens Kishi e Toninho Costa por registrar a historia do Ze da lapa, quem o conheceu sabe que foi uma referência de vida
28/06/2021 10:12:55

Por: Helena
Cáceres
Zé da Lapa apostou no cinema em Cáceres e proporcionou muitas historias pra garotada, um marco na cidade o Cine São Luiz.
28/06/2021 09:33:35

Por: BRUNO HOMEM DE MELO
Cuiabá
obrigado kishi e toninho pela homenagem ao meu querido avô.. muita emoção.. muita saudade.. num tempo que o admirável é ter fortuna, fama e poder, meu avô se tornou conhecido por ser honesto, por ser bondoso, por ser humilde e ao mesmo tempo ter tido êxito profissional, comercial e social... nao é pouca coisa.. o exemplo permanece e se prolongará.. o mundo precisa de mais exemplos como esse, e como muitos outros q já foram lembrados por vcs toninho e kishi.. obrigado mesmo
28/06/2021 09:20:16

Por: geronimo
caceres
um grande empresario pra epoca, ze da lapa construiu uma vida de sucesso com muita sabedoria e uma simplicidade unica... essa homenagem foi mais que merecida...
28/06/2021 08:52:53

Por: Jorge Bezerra
Cáceres-MT
Grande Zé da Lapa, mito cacerense. Parabéns ao Zaki news por reforçar a notoriedade das personalidades cacerenses, mesmo depois de partir. Este trabalho é de extrema importância pra história da nossa cidade.
28/06/2021 08:38:32

Por: Fabiana
Cáceres
Uma pena seu Zé não estar vivo para ver essa linda homenagem...Todas as vezes que saíamos da missa lá estava ele com sua família na calçada da praça, quem passa em frente sua casa certamente se lembra da simpatia do grande Zé da Lapa. Abraços a toda família!
28/06/2021 08:16:05

Faça o comentário para a noticia: Zé da Lapa: ex-vereador, empresário de sucesso e dono de cinema

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.