03/05/2021 - 07:00

Por: Antonio Costa / Zakinews

Enfermeira Bonifácia, uma vida dedicada aos pacientes na Cáceres de ontem


 

Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews

Entre aqueles que se dedicaram parte da vida em prol do próximo, a reportagem foi buscar um resumo da história de vida da enfermeira cacerense Bonifácia Pedrosa de Almeida, que viveu mais de 90 anos, sempre na missão de assistir aos necessitados, especialmente os enfermos.

Bonifácia e outros cinco irmãos, eram filhos de Clementino Pedroso de Almeida e de Macária Garcia de Almeida.

Segundo a sobrinha Maria do Carmo de Assunção Santos, que todos a conhecem por Carmelita, professora aposentada após 31 anos de serviços dedicados aos seus alunos das escolas Dom Galibert, Grupo Escolar Esperidião Marques, e Escola União e Força, “a tia Bonifácia foi uma pessoa simples, amiga e do bem”.

Bonifácia, sentada a direita, com familiares e amigos

Na infância brincou de boneca como a maioria das meninas de sua época. Estava sempre próxima da mãe Macária ajudando nos afazeres do lar.

Na adolescência para a fase adulta, convidada pela tia Demétria Pedrosa de Almeida, estudou em Corumbá-MS, e prestou serviço no Asilo São José. A intenção das duas eram ser freiras e servir às causas do Senhor.

Porém, a vocação de religiosa foi assumida pela companheira de internato, que mais tarde tornou-se a Irmã Demétria. Coube à Bonifácia seguir na profissão de enfermeira que ela aprendeu no internato na Cidade Branca, Corumbá.

Posteriormente mudou-se para Cáceres e aqui passou a exercer a profissão de enfermeira. Trabalhava no Hospital São Luiz e, no dia de folga, atendia à domicílio. Ela ia a pé atender as chamadas dos pacientes principalmente quem necessitava tomar injeção. A fama como “enfermeira que aplicava injeção”, fez com que ela fosse temida pela criançada, que, conforme a sobrinha Carmelita, “corria duro” quando via a mesma.

Bonifácia aprendeu andar de bicicleta, assim, podia ir mais rápida atender os chamados em Cáceres, que naqueles tempos, não existiam tantos bairros como atualmente.

Bonifácia em Corumbá-MS, no Asilo São José, da Congregação das Irmãs Jesus Adolescente

Carmelita recorda que nessa época, os médicos existentes na cidade eram eles: Dr. Nito, Gentil (que morava onde atualmente é o consultório do vice prefeito dr. Odenilson), e dr. Lécio, pertencente ao 2º Befron, assim como também o Dr. Geraldo.

Recorda a costureira aposentada Maria Ferreira da Costa, que no ano de 1963, foi acometida de sarampo. Consultada pelo dr. Geraldo, este receitou algumas injeções. Coube a enfermeira Bonifácia proceder com a aplicação. Recorda ela que a enfermeira homenageada nesta oportunidade, era bastante atenciosa, paciente e sempre disposta em atender os chamados das famílias que tinham um doente em casa.

Ainda segundo a costureira, Bonifácia pertencia ao grupo religioso “As Filhas de Maria”, sob o comando da Irmã Ana Loucais. As integrantes do grupo participavam ativamente ajudando na celebração de missas com os cânticos, zelavam da preparação e limpeza do altar, e, algumas eram catequistas.

Maria Costa recorda que após muito tempo, quando Bonifácia estava recolhida em casa e enferma, ela levava a eucaristia semanalmente e ela comungava.

Senatore a agradecia de joelhos

Já o professor Antonio Miguel Senatore - especialista em museu - recorda que a referida enfermeira cuidou dele quando criança, deveria ter uns três para quatro anos. Ele conta uma interessante e emocionante passagem que teve com a enfermeira:

“A enfermeira Bonifácia ia em minha casa aplicar injeção quando eu estava doente. Lembro muito bem de uma cena que está gravada em minha mente dos tempos de criança na convivência com os meus pais. Ela chegava para me atender, e, eu, imediatamente postava de joelhos em sua frente. Acho que era em sinal de respeito e uma maneira de agradecer ela por estar cuidando de mim. O meu gesto deixava ela um tanto quanto constrangida...ver uma criança ajoelhada a seus pés em agradecimento”.

Senatore só tem elogios para a enfermeira agora homenageada por Zakinews; “era uma pessoa maravilhosa. Muito atenciosa, amiga e com um coração acolhedor”.

O uso das ervas medicinais

Novamente a participação da sobrinha Carmelita, em que pese os seus 86 anos, goza de uma saúde privilegiada. Passa o tempo emendando retalhos para fazer tapetes. Ela sempre que procurada pela reportagem atendeu o telefone com simpatia e presteza nas preciosas informações que resultaram na matéria sobre a tia enfermeira.

Carmelita revela que Bonifácia se utilizava de ervas medicinais quase que diariamente. Ora com chás ou em macerações para cheirar. O que segundo ela, ajudava a recobrar a memória, por exemplo, erva de Santa Maria em jejum. Turbinava o cérebro e o deixava em dia. A referida erva em forma de chá era usada para combater vermes. Etc.

Bonifácia teve nove irmãos. Hoje estão vivas, Carmelita e Matilde 

“Infelizmente as ervas não são mais utilizadas como antigamente. O mesmo acontece com as benzições, tão comum e de grande valia na vida das famílias de outrora”.

Sobre a maneira como o professor Miguel Senatore agradecia a enfermeira que o cuidava, ela tem uma explicação: “antigamente as pessoas cultivavam gestos de gratidão que hoje estão em desuso”. Por exemplo, prossegue ela, “pedir benção vale muito para quem recebe. Eu sempre que posso recorro a um padre para me abençoar. É gratificante ouvir Deus te abençoe minha filha!”.

Era assim na época do Padre Elias, Paulo e do Bispo Diocesano Dom Máximo. Religiosos que a família da enfermeira Bonifácia mantinha uma estreita relação de amizade.

Família longeva; o irmão militar alcançou 103 anos

A professora aposentada que tem em casa a companhia da irmã Matilde, também aposentada após dar aulas no histórico Grupo Escolar Esperidião Marques, se orgulha de pertencer a uma família de integrantes longevos. Os pais alcançaram noventa anos; o irmão João Vicente da Silva, coronel do exército, por exemplo, viveu até aos 103 anos.

Festa de 90 anos da mãe de Bonifácia, dona Lúcia Pedrosa de Almeida, rodeada de filhas, netos e bisnetos

Ela conta das comemorações do centenário do irmão que morava em Goiânia-GO. Uma caravana de amigos e familiares se juntaram aos parentes do aniversariante e uma animada festa aconteceu durante dois dias.

Padre Geraldo - amigo da família – seus pais Joaquim dos Santos e Ana Luiza dos Santos, batizaram a caçula Matilde. Padre Geraldo foi especialmente para celebrar o centenário de vida do militar. Levou de presente um isopor com alguns exemplares da rica fauna ictiológica pantaneira, especialmente pacus e pintados. A diversificação do cardápio estava garantida.

Matilde revela que o irmão militar costumava cumprir religiosamente a sua obrigação de eleitor, isso já com cem anos de idade, quando não tinha mais essa obrigação cívica. Mas ele se sentia orgulhoso e se dizia ser um patriota ao exercer o voto.

A enfermeira Bonifácia Pedrosa de Almeida, foi uma daquelas cacerenses muito estimada pelas famílias de Cáceres. Exerceu sempre a sua profissão de enfermeira com dedicação e carinho aos seus pacientes. Por isso até hoje é lembrada com muita saudade e admiração daqueles que um dia tiveram a necessidade de receber seus cuidados no leito da cama em casa ou no hospital.

Cumpriu de maneira exemplar a sua missão de enfermeira. Deixou saudades!

 

Comentários: ( 14 ) cadastrados.
Por: Adilson Reis
Cáceres MT
Bonifácia, a Enfermeira da Família cacerense, temos muitas lembranças da sua voz e atividade, até hoje quando pegamos uma garrafa de álcool e embebemos um algodãozinho...vem na memória aquele estojo inox com seringa e agulha...e pernas prá que te quero...Saudosa e boa memória.
04/05/2021 05:28:47

Por: Isaura da Costa e Faria
Cáceres
Conheci muito a enfermeira Bonifacia. Ela aplicava injeções em minha mãe... tinha uma fala mansa, tranquila e sempre sorridente... eu ficava furiosa porque achava que ela estava “machucando” minha mãe. A cada injeção eu gritava “tira essa agulha dela sua malvada” e ela sorrindo me dizia “é pra sua mamãe ficar boa.. Isaurita...
Hoje tenho a honra de ser amiga de Carmelita e Matilde..Pessoas dignas, generosas e extremamente simpáticas... Espero vê-las com saúde e felizes por muitos anos ainda sempre abençoadas pelo nosso SENHOR... 🙏🙏🙏
03/05/2021 18:52:10

Por: Cesar Gomes
Cuiabá
Conheço dona Carmelita, um pessoa muito querida, que bom saber um pouco sobre a história de sua família
03/05/2021 18:25:16

Por: Eliana
Cáceres
Ja ouvi falar muito da enfermeira Bonifacia, gostei de saber mais sobre ela
03/05/2021 16:32:51

Por: Rosália das Graças MACIEL
CÁCERES MT
Conheci a corajosa enfermeira da época Dona Bonifacia.
Lembro -me bem eu ainda era adolescente e a dona Bonifacia chegava na nossa residência sendo muito bem recebida por nossos pais.
Mas a criançada já procurava um cantinho para se esconder pois bem sabiam qual era o motivo da visita.
PARABÉNS a professora Carmelita que relatou episódios importantes da vida desta grande cidadã que serviu Cáceres com muito amor.
03/05/2021 14:37:55

Por: Francisco Do Prado S. Junior
Cáceres
Tive oportunidade de conhecer quase toda a família, pois na minha infância morávamos próximos, familia de gente simples, que fala com o coração, gente de muitos predicados.
03/05/2021 14:07:34

Por: Genilce
Cáceres
Lindíssima homenagem 👏👏👏👏
03/05/2021 12:21:40

Por: PAULO SERGIO FANAIA TEIXEIRA
Cuiabá
Que homenagem maravilhosa !! Dona Bonifácia era uma pessoa boníssima ! Foi nossa vizinha ! Morava com a mãe Xá Lucia e os irmãos. Gente boa . Meu Deus que saudade deles! Parabéns Zaknews pelo maravilhoso resgate !!!
03/05/2021 11:01:53

Por: Gilberto Freire de Souza
Cáceres MT
A minha mãe Dona Romana Pires de Souza (falecida) morou muitos anos na Casa de Vovó Lucia que nos a chamavamos por consideração só saiu da casa deles quando casou com meu João Freire de Souza(falecido) mas reconhecido como João de Jorge que tinha um comércio na sete de Setembro.
03/05/2021 10:47:40

Por: Nair
Cáceres
Uma história muito bonita e que mereceu ser contada e registrada
03/05/2021 10:42:01

Por: Josué Cândido
Cuiabá
Com certeza Bonifácia cumpriu seu propósito nessa vida. Parabéns pela reportagem zakinews e Antonio
03/05/2021 10:19:40

Por: Olga Castrillon
Cáceres
Passou pela minha vida também com as injeções. Minha mãe fazia essa tarefa, mas de vez em quando chamava Bonifácio. Abraço Matildinha!!!
03/05/2021 09:08:41

Por: Gilce da Silva Costa
Várzea Grande
Nossa que recordação extraordinária. Quero deixar um especial abraço a Matilde, eu e a mamãe lembramos delas a 10 dias atrás, ler essa maravilhosa lembrança me deixo muito feliz. Parabéns Antônio Costa pela bela reportagem. A Família minha eterna GRATIDÃO.
03/05/2021 08:09:20

Por: Neide Antunes dos Santos
Cuiabá
Linda história!
Saudades de Carmelita e Matilde. Abraços.
03/05/2021 07:32:21

Faça o comentário para a noticia: Enfermeira Bonifácia, uma vida dedicada aos pacientes na Cáceres de ontem

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.