29/09/2015 - 07:17

Por: Lidiana Cuiabano/Sesp-MT

Fazenda apreendida do narcotráfico vai a leilão e recurso será investido em segurança


Foto: Chico Valdiner/Gcom-MT

   A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) publicou, no Diário Oficial do Estado que circulou no último dia 22 de setembro, o edital de leilão judicial de alienação antecipada de bens da fazenda Asa Branca. A propriedade foi adquirida com dinheiro oriundo de organização criminosa que agia no tráfico internacional de droga na região Oeste de Mato Grosso e foi dada perdimento pela Vara Criminal de Cáceres em favor da Segurança Pública. 

   O leilão acontecerá em duas praças: a primeira no dia 8 de outubro, às 9 horas, na   sala de Crise da Secretaria de Segurança Pública. E a segunda no dia 20 de outubro, no mesmo horário e local. A Publicidade do leilão foi veiculada também na edição 2445 da revista Veja. 

   No dia 10 de junho deste ano, mais de três milhões de reais foram arrecadados no leilão judicial de 1.603 cabeças de gados que estavam na fazenda Asa Branca, localizada a 40 quilômetros de Cáceres. O dinheiro já foi investido na compra de 1.200 pistolas para as polícias Civil e Militar, 40 fuzis e 50 submetralhadoras modelo HK. Uma parte, 600 pistolas, já foram entregues para a Polícia Militar.

   A reversão do dinheiro do crime para investimentos na Segurança Pública é uma ação inédita no Estado. “Esse evento é histórico, pois estamos tornando realidade a pretensão de todo cidadão de bem de tirar o patrimônio oriundo do crime em favor da segurança pública”, enfatizou o secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque.

   O secretário reforça que, do ponto de vista legal, a compra da fazenda está acobertada por decisão judicial e por arcabouço jurídico, o que assegura ao comprador total segurança de que o patrimônio será imediatamente transferido para a sua propriedade. “Os valores auferidos serão depositados em uma conta exclusiva da Segurança Pública e empregados em investimentos para modernização das instituições policiais e equipamentos”, disse Mauro Zaque. 

   Entenda o caso

   Uma operação conjunta do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), no dia 13 de novembro de 2014, levou à prisão de quatro pessoas, apreensão de cerca de 150 quilos de pasta base de cocaína e vários veículos, na fazenda Asa Branca, distante 40 quilômetros do município de Cáceres. 

   Tudo começou quando os policiais foram cumprir um mandado de prisão expedido pela comarca de Araçatuba, Estado de São Paulo, em desfavor de Aleksandro Balbino Balbuena. O suspeito estava sendo monitorado há pelo menos um ano pelo setor de Inteligência do Gefron.

   No dia 11 de novembro, a Polícia Rodoviária Federal encontrou Aleksandro conduzindo um veículo Dodge Ram de placas OJK 0338. No momento da abordagem, Aleksandro disse aos policiais que se chamava Alexandre Pereira Silva. Porém, como os policiais já o conheciam e sabiam que ele tinha uma propriedade rural no distrito do Caramujo, de posse do mandado de prisão, o encaminharam ao Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) de Cáceres.

   No dia 12, os policiais se deslocaram até a fazenda Asa Branca, de propriedade do suspeito, onde encontraram várias armas, entre elas, um fuzil ponto 30, várias pistolas e muitas munições de diversos calibres. Em revista nos fundos da sede da fazenda, os policiais encontraram enterrados 124 tabletes de pasta base de cocaína. Dois funcionários do suspeito foram presos na ocasião. Diversos veículos que estavam no local, entre carros e motos, também foram apreendidos. "Essa é a primeira de uma série de outras ações integradas que virão dentro da nova estratégia de Segurança Pública de cortar o fluxo financeiro do crime no Estado", disse o Secretário Executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo.

   

 

Comentários: ( 0 ) cadastrados.

Faça o comentário para a noticia: Fazenda apreendida do narcotráfico vai a leilão e recurso será investido em segurança

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.