Zaki News

25/03/2015 - 18:11

Por: Noelma Oliveira

Governo atende demanda de escola estadual em Cáceres


   Exatos 13 dias após o governador Pedro Taques assumir o compromisso com alunos e professores da Escola Estadual União e Força, localizada no Centro de Cáceres (210 km a Oeste), os aparelhos de ar condicionado no local passaram a funcionar desde a manhã desta quarta-feira (25.03). 

   A instalação dos padrões para fazer a ligação da energia foi a principal reivindicação da comunidade escolar apresentada ao governador e ao secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto, durante visita ao município nos dias 12 e 13 passados. Algumas salas de aula já estavam com o ar condicionado funcionando hoje. 

   Conforme a coordenadora da escola, Leila Castro da Silva, técnicos da Seduc estiveram na escola para verificar os aparelhos, que estavam instalados há mais de um ano, porém sem funcionar. “Quanto ao pedido feito para trocar os padrões, isso foi atendido”, disse a professora. 

   A rede de energia que servia a escola não tinha capacidade para ligar os equipamentos de ar condicionados nas 16 salas de aula. O secretário afirmou que durante este período técnicos da Seduc fizeram várias intervenções para verificar o problema, inicialmente, constatado no transformador. 

   Depois foi identificado que o problema estava no padrão. Estes equipamentos foram substituídos. Também foram feitas intervenções junto a empresa responsável pela energia elétrica em Mato Grosso para fazer a ligação o quanto antes devido o pedido atender centenas de cidadão. 

   Durante a visita do governador, foi entregue uma lista de antigas reivindicações para a escola pela diretora Ana Maria Coelho Carduci. “Nós temos muito o que fazer, o que avançar. Nós vamos melhorar os meios, qualificar os gastos para investir na melhoria do ensino e valorizar os nossos profissionais de educação”, disse Permínio. 

 

Comentários: ( 0 ) cadastrados.

Faça o comentário para a noticia: Governo atende demanda de escola estadual em Cáceres

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.