27/09/2014 - 12:45

Por: Assessoria/Lúdio Cabral

Lúdio e Wellington divulgam dados bancários e fiscais na internet


   Em sinal de transparência e respeito aos cidadãos, o candidato a governador Lúdio Cabral (PT) disponibilizou informações bancárias no site www.ludio.com.br. Serão divulgados também dados fiscais no link “notícias”. O concorrente ao Senado pela coligação “Amor a Nossa Gente”, Welligton Fagundes (PR), também fará o mesmo. 

   Lúdio e Wellington já registraram em cartório compromisso de abrir os sigilos a qualquer pessoa, assim como as respectivas esposas e filhos maiores de idade. “Estamos mostrando que, além de discurso, nós temos prática e fazemos o que defendemos”, afirmou Lúdio, que chegou a apresentar à imprensa na manhã dessa sexta-feira (26) uma procuração específica ao senador Pedro Taques (PDT) para que ele também tenha acesso aos dados junto a diversas instituições, pois vem escalando apoiadores para criticar a divulgação anunciada.

   Wellington Fagundes também apresentou uma procuração para que o empresário Rogério Salles (PSDB) tenha mais facilidade em acessar os dados bancários e fiscais. “Ele falou que todo homem público deve abrir a sua vida e nós estamos fazendo isso. Queremos vê-los fazerem o mesmo”. 

   Além de se recusarem a receber as procurações, Taques e Rogério Salles enviaram apoiadores e até trio elétrico para tumultuar a ida de Lúdio e Welligton ao Cartório do 1º Ofício de Cuiabá.

Comentários: ( 2 ) cadastrados.
Por: José Rocha
Cáceres
Não me iLUDIO com gente que faz muita questão de provar honestidade e transparência. O povo quer representantes decentes, mas estamos vacinados já contra hopocrisia e imagem de (falso) bom moço.
27/09/2014 14:26:14

Por: Aquino
Cuiabá
ESSES CARAS QUEBRAM O SIGILO POR QUE O QUE ELES TEM TÁ TUDO EM NOME DE LARANJAS.
27/09/2014 18:15:36

Faça o comentário para a noticia: Lúdio e Wellington divulgam dados bancários e fiscais na internet

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.