05/08/2013 - 07:43

Por: Wilson Kishi

Argumentos de Landin para sua saída, são os mesmos reclamados pelo SSPM


Wilson Kishi

   Os fortes argumentos citados pelo ex-secretário de saúde do município, Luiz Laudo Landin vem de encontro com as pautas do Sindicato dos Servidores Públicos Municipal – SSPM no que se refere à Saúde de Cáceres. De uma forma geral, a falta de estrutura para trabalhar foi cobrada diuturnamente pelos funcionários durante o período, de 17/07 a 02/08, em que ficaram em greve. Essa falta de estrutura foi claramente demonstrada por Landin, em entrevista no jornalista Sinézio Alcântara do Jornal Expressão.

   O fisioterapeuta fez grave acusações à administração do prefeito Francis Maris Cruz (PMDB). “O prefeito não autorizou a compra de peças para as viaturas e por isso, crianças da zona rural não foram vacinadas contra a poliomielite e muitos pacientes estão deixando de receber tratamento em Cuiabá porque a secretaria não dispõe de carro para o transporte”, lamentou Landin. Outra demonstração de total falta de estrutura citado pelo ex-secretário é que a secretaria é um verdadeiro caos. “A situação é de calamidade. A secretaria não tem papel sulfite, toner e sequer materiais de expediente e limpeza. Tudo o que lá existe é comprado pelos próprios funcionários” reclamou.

   Segundo Landin, o pregão realizado pela prefeitura para compra de remédio foi a “gota d´água”.  Como o resultado da licitação foi apresentado preços superfaturados, “eu sempre defendi a suspensão do pregão, mas, o prefeito insistiu em sua manutenção mesmo sabendo das irregularidades”, disse. “Eu jamais poderia concordar com a forma como foi elaborado o pregão. Mesmo sendo feitas algumas adequações, existem preços superfaturados, como por exemplo, a fita de eletrocardiograma, que será adquirida com preço três vezes mais do que no mercado”, justificou.

   Para Luiz Landin, o principal entrave na prefeitura é a Controladora do Município, Karine Mazetti. Ele acusa duramente Karine por emitir parecer sem conhecimento nenhum da realidade. “Essa senhora chegou ao cúmulo de apresentar um parecer dizendo que a contratação de médicos para o PAM não era emergencial. Que era uma emergência fabricada. Mesmo sabendo que toda unidade de saúde estava sem médico e a população padecendo por falta de atendimento” disse. Mesmo assim, segundo Landin, não teve apoio do prefeito, que preferiu acatar o parecer da controladora.

   Como alternativa para uma situação totalmente diferente, pelo entendimento do fisioterapeuta seria a autonomia do órgão. Landin sempre defendeu a gestão plena e teria a garantia do prefeito que seria implantado quando da sua posse. “Infelizmente não tivemos a oportunidade de implantar a gestão plena no município, porque a questão não é financeira, mas sim, administrativa”, disse.

   Landin deixa a secretaria antes mesmo de ser encaminhado pelo SSPM, pedido de criação de uma CPI na Câmara Municipal para investigar a Saúde do Município. Acusam os servidores que está faltando profissionais médicos, não tem estrutura de trabalho, falta remédios entre outros. 

Com informações do Jornalista Sinézio Alcântara/Jornal Expressão

 

 

Comentários: ( 1 ) cadastrados.
Por: Eduarda Silva
Cáceres
Landin vai retornar como secretário na gestão do próximo prefeito. VÔTEEEEEEEEEEE!!! kkkkkkkkk Brincadeira gentiiiiiiiii
07/08/2013 13:39:43

Faça o comentário para a noticia: Argumentos de Landin para sua saída, são os mesmos reclamados pelo SSPM

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.