03/08/2013 - 06:51

Por: Wilson Kishi

Servidores acatam decisão da Justiça e retornam ao trabalho na segunda-feira


Wilson Kishi

   Com o retorno forçado pela decisão da Justiça que declarou a greve ilegal, os servidores vão retornar às suas funções na próxima segunda-feira (5) e devem pedir a intervenção na prefeitura pelas denúncias que chegam até o Sindicato diante de várias irregularidades nos órgãos de governo.

    Na manhã desta sexta-feira (2), os servidores reuniram em Assembleia Geral em sua sede e deliberaram que todas as denúncias serão enviadas a Promotoria de Justiça e vão pedir a intervenção da prefeitura por diversas irregularidades que vem sendo praticadas por membros da atual gestão, tais como: contratação de forma ilegal dos médicos, pagamentos indevidos aos médicos, aquisição de medicamentos com preços superfaturados e uso indevido de bens públicos.

Wilson Kishi

   Com relação a deliberação do retorno ao trabalho, a proposta chegou a ser rejeitada pelos servidores profissionais da educação. A maioria deles tinham a preferência pelo confronto e permanecer em greve. Essa tese estava sendo defendida pela maioria dos professores presentes. Ao final, o bom senso entre eles prevaleceram e foi deliberado o cumprimento da decisão judicial, ou seja, o retorno ao trabalho na próxima segunda-feira, dia 5.

   O presidente do sindicato, Claudiney de Lima Pinto já convocou outra Assembleia para a próxima sexta-feira (9) para avaliação do recurso contra a decisão que declarou a greve ilegal e outros encaminhamentos. Lima cobrou ainda a presença maciça de servidores na sessão de segunda-feira (5) na Câmara de Vereadores. Na oportunidade, o SSPM deverá fazer uso da palavra na Tribuna Livre e entregar aos vereadores, pedido de abertura de duas Comissões Parlamentares de Inquérito – CPI contra a Educação e Saúde.

Comentários: ( 0 ) cadastrados.

Faça o comentário para a noticia: Servidores acatam decisão da Justiça e retornam ao trabalho na segunda-feira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.