30/07/2013 - 10:10

Por: Wilson Kishi

No quesito IDHM Renda, Cáceres vem crescendo de forma acanhada


Imagem: Google
O município de Jangada, pelo IDHN Renda, ficou com a pior média entre os municípios do Estado

   Os três municípios com a pior renda per capita média do Estado de Mato Grosso são: Jangada, com índice de 0,567, Porto Estrela com 0,571 e Acorizal com 0,594, de acordo com o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) 2013, divulgado nesta segunda-feira (29) pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), em Brasília. Os dados se referem a agosto de 2010, medidos pelo Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

   Dentre os níveis de classificação pelo Pnud, estão: Muito Alto; Alto; Médio; Baixo; e Muito Baixo. Em 1991, Mato Grosso registrou 15 cidades na classificação Muito Baixo. Agora, em 2010, os três piores municípios em renda são considerados como nível Baixo. Como referência, o pior município do Brasil em renda é Marajá do Sena (MA) que obteve o índice de 0,400.

Wilson Kishi
IDHM Renda: Cáceres cresceu 6% entre 2000 a 2010

   O município de Cáceres, apesar de todas as dificuldades, vem demonstrando um crescimento na renda per capta. Pelos dados de 1991, a renda per capta da Princesinha do Paraguai era de 0,566, classificada como “Baixo”. De 1991 até 2000, Cáceres registrou um crescimento de 14%, elevando seu índice de renda per capta para 0,645, saltando para a classificação “Média”. Nos dados divulgados hoje, Cáceres permanece no mesmo nível, porém, cresceu apenas 6% nos últimos 10 anos e os dados de 2010 registrou o índice de 0,691.

   Em comparação aos 141 cidades do Estado de Mato Grosso, Cáceres vem ganhando posições de forma bastante acanhada. Em 1991, Cáceres era a 80ª na classificação geral em renda per capta. Segundo dados de 2000, o município passou a ser 64ª cidade em renda. Agora, em 2010, Cáceres é a 59ª na classificação.

   As onze primeiras cidades mato-grossenses com maior renda per capta registradas neste Censo de agosto de 2010, são: Cuiabá e Campos de Júlio, ambos com índice de 0,800, seguido de Primavera e Sorriso, também empatados com 0,774. Logo atrás vem Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sapezal, com registros de 0,773, 0,766 e 0,758 respectivamente. Em oitavo lugar aparecem empatados Sinop e Campo Verde com 0,755, seguido de Rondonópolis e Tangará da Serra, ambos com 0,749.

Comentários: ( 0 ) cadastrados.

Faça o comentário para a noticia: No quesito IDHM Renda, Cáceres vem crescendo de forma acanhada

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.