09/09/2020 - 07:30

Por: Airton Reis

RIO PARAGUAI: ACRÓSTICO VIRTUAL! - POETA AIRTON REIS


 

Rebojo nada pontual.
Ilhas sem navegação em tempo real.
Ocidente do Brasil em via deveras fluvial.

Paisagem pantaneira da sequidão. Meandro sem vazão.
Ancoradouro da cidadania brasileira neste sertão nacional.
Remo sem remador. Pescador sem pescaria. Cacerense agonia.
A água nossa de cada dia. Dragas do tempo passado. Leito assoreado.
Gerúndio do verbo degradar. Intempérie de magnitude sem par. Esvaziar.
Universalizada visão... A realidade ambiental sem a emergencial solução.
As nuvens sem chuva... O céu fumegante... O hídrico em fator intermitente.
Indiferente. A princesinha outrora coroada. A canoa atracada. A baía finada!

FOTOGRAFIA: EDILSON VIANA.

Comentários: ( 0 ) cadastrados.

Faça o comentário para a noticia: RIO PARAGUAI: ACRÓSTICO VIRTUAL! - POETA AIRTON REIS

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.