07/09/2020 - 09:00

Por: Antonio Costa / Zakinews

APAE comemora 44 anos de história em Cáceres


Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews

   Ao continuar com as estampas vivas de trabalho de pessoas que deram a sua parcela de contribuição para Cáceres, a reportagem aproveita para relembrar da história dos primeiros dirigentes da APAE, Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais que no último dia 31 de agosto, comemorou seus 44 anos desde que foi criada.

   Com o firme propósito e a determinação em ajudar aos seres humanos especiais que nasceram com uma ou outra dificuldade, a entidade ao longo dessas quatro décadas de trabalho, sempre esteve atenta as necessidades dos seus assistidos, para tanto, sempre contou e conta com a disponibilidade daqueles que alimentam o espírito de fazer algo mais em prol dos que realmente necessitam.

   Aqui merecidamente dois exemplos de atenção e trabalho à APAE; Rotary Club de Cáceres e o frei Wilhelmus Theodorus Maria Sterke, mais conhecido como frei Gumaru Sterke, holandês que em 16 de julho deste ano retornou ao seu país de origem, a Holanda, após sessenta anos de serviços educacionais e sociais prestados em Cáceres.

   Foi a determinação do referido religioso em buscar recursos em seu país, que garantiram a construção da sede da entidade e que perdura até os dias atuais. Enfoque que o leitor acompanhará em outra parte da matéria.

   Ao voltar no tempo e chegar na noite de 31 de agosto de 1976, a reportagem contou com a primordial ajuda da atual diretora, Fabiane Patrícia que buscou nos arquivos da entidade a ata de fundação.

   Nela consta que na sede social do Esporte Clube Humaitá aconteceu a reunião da diretoria provisória com os seguintes membros: Irênio Lima Fernandes, Léo Tércio Sperb, Vanilda Castrillon Mendes, João Porto Rodrigues, Paulo Henrique de Oliveira, Ubaldo Tocantins e Sérgio L. de Oliveira.

   Presentes ainda o então prefeito José Rodrigues Fontes, Natalino Ferreira Mendes, Madre Maria estevão da Silva e frei Gumaru Sterke.

   Fez uso da palavra o comandante do 2º. Batalhão de Fronteira, Ten. Cel. Léo Tércio Sperb, oportunidade que enumerou os trabalhos executados pela diretoria provisória, além de informar aos presentes a finalidade em colocar o estatuto da APAE em aprovação e eleger a Diretoria proposta por uma única chapa. Por unanimidade foi o estatuto aprovado e eleita a chapa apresentada.

Presidente: Professor Natalino Ferreira Mendes
Vice: Irênio Lima Fernandes
1º Secretário: Jeferson S.Souza.
2º Secretário: Laury Gianichinni Souza.
1º Tesoureiro: João Porto Rodrigues.
2º Tesoureiro: Gilberto Haueisen.
Diretores Adjuntos: Austregésilo Homem de Melo, Vanilda Castrillon Mendes e Léo Tércio Sperb.
Conselho Deliberativo: José Rodrigues Fontes, Antonio Carlos Souto Fontes, Joaquim da Cunha Fontes, Ana Maria da Costa e Faria, Marino Souto Fontes, Rulis de Jesus Fontes, Frei Gumaru Sterke, Ludi Fontes, José da Lapa Pinto de Arruda, Arnaldo Estevão de Figueiredo Sobrinho e Rafael Vilela.
Conselho Fiscal: Ernani Martins, Luis Castrillon, Izequiel Lopes, Ladislau Ramos, Capitão Tocantins.

 

Márcio Menezes, 20 anos dedicados a entidade

Acervo: família Menezes
José Márcio Menezes, presidente da APAE de Cáceres por 5 mandatos consecutivos, de 1978 a 1988

   Das quatro décadas de existência, a Apae contou com a dedicação, atenção e trabalho do empresário José Márcio Menezes, em 20 anos, pois quando o mesmo não estava na presidência, ele ocupava a vice.

   Ele presidiu pela primeira vez a entidade no ano de 1978, e encerrou sua missão na vice-presidência no ano de 1997. Pela bagagem e amor a causa, a reportagem foi ouvi-lo.

   Tudo começou, segundo ele, quando recebeu em seu estabelecimento comercial (Serraria Bandeirantes) um grupo de pessoas da sociedade local sob o comando do Comandante do 2º. Batalhão de Fronteira, Cel. Léo Tércio Sperb, que foi convidá-lo para fazer parte da diretoria da entidade.

   Ele, que já dedicava atenção aos internos da União Social de Assistência (USA), aceitou honrosamente o convite e dedicou por longos anos. Lembra que imediatamente disponibilizou a ampliação da sede que funcionava nos fundos do Rotary Club de Cáceres, à Rua Treze de Junho, construindo blocos pré-fabricados em madeira. O ato possibilitou melhor condições de atendimento e assistência as crianças assistidas.

   Posteriormente convidou a sra. Maridalva Amaral Vignardi para fazer parte de sua diretoria. “Ela foi-nos de grande valia, pois tinha conhecimento do trabalho desenvolvido em Votuporanga no interior paulista. Trouxe-nos cópias de documentos que serviram de embasamento para o trabalho que começávamos a desenvolver”, revela José Márcio.

   Ainda segundo ele, Maridalva Vignardi ainda trouxe também cópia do projeto arquitetônico da APAE paulista. Com as adequações para a realidade local, efetivadas com a participação profissional da engenheira Maria Lúcia Menezes, sua irmã, a APAE de Cáceres sonhava alto. Ou seja: ter a sua sede própria.

   Trabalho era o que não faltava, ressalta o empresário. Ele decidiu convidar o empresariado local, autoridades, pessoas influentes para que se tornassem sócios colaboradores, assim adquiria o substancial necessário para manutenção da entidade.

   A sua diretoria tinha o firme propósito de construir a sede própria. Graças a ajuda do então prefeito Ernani Martins uma área foi doada no bairro da Cavalhada na Travessa Cururu, onde é hoje a sede da instituição.

   Menezes revela ainda que foi fundamental a participação do Frei Gumaru Sterke. Coube a ele levar em mãos o projeto da construção da sede própria as autoridades assistenciais da Holanda. Passados alguns meses a resposta foi positiva. O sonho começava a tornar-se realidade.

   Os mantenedores holandeses acompanhavam através de fotos o andamento da obra em Cáceres. O dinheiro ia sendo liberado gradativamente e a construção avançava a passos largos.

   Concluída a obra ainda sobrou verba. Foi então que dada a lisura do trabalho apresentado pela diretoria comandada por José Márcio, os holandeses indagaram onde o recurso poderia ser empregado. Foi então que a verba foi utilizada nas áreas de Fonoaudiologia e Fisioterapia aos assistidos.

   Ele cita a dedicação e as parcerias formadas ao longo dos anos em que esteve na direção da Apae Cacerense:

Frei Gumaru Sterke: religioso atuante nas obras assistenciais como a própria APAE onde por vários anos esteve na presidência e na vice. Comandou também O Bom Samaritano, hospital especializado em doenças tropicais, etc;

Joaquim Castrillon: outro parceiro fundamental. Ele cedeu um terreno na Avenida Joaquim Murtinho para nessa época a instituição desenvolver trabalho de horta com os especiais, o amplo terreno foi por vários anos utilizado também para reabilitação das crianças;

Maria Monteiro: cedia gratuitamente o veículo Belina do esposo para que as crianças fossem buscadas em suas residências;

Lígia Helena Fanaia: que até mesmo teve que empurrar a Kombi atolada nas precárias condições de trafegabilidade das ruas no período chuvoso, em companhia do dedicado motorista João.

   Enfim, foram vários os professores, funcionários e profissionais que se dedicaram para o bom funcionamento da APAE ao longo desses 44 anos de atuação pelas crianças e adultos de Cáceres. O ex-dirigente faz questão de citar também o profissionalismo da fonoaudióloga Bete Alvarez, e da fisioterapeuta Elisa Abe Ninomiya (esposa do engenheiro Edson Ninomiya).

   Ainda na gestão José Márcio Menezes foi adquirido um micro-ônibus para uso exclusivamente dos alunos. Ação decisiva do dr. Hélio Gueiros, em Brasília. Por outro lado, ele cita a aquisição do terreno para construção da quadra de esportes, doação da prefeitura após desativação do Projeto Rondon.

Fabiana Patrícia Ferreira Bueno Doro, com formação em Ciências Econômicas, ela é a atual diretora da Apae de Cáceres

Atual diretora da APAE/Cáceres, Fabiana Patrícia Ferreira Bueno Doro


   Nos últimos anos, ela (Fabiana) sempre tem procurado trabalhar nas obras assistenciais, a exemplo dos “Amigos do Bem Companhia”, que consiste na promoção de ações voltadas em ajudar entidades assistenciais, a exemplo do que ocorreu em 2019 quando os integrantes do quadro filantrópico se dedicaram em canalizar meios para ajudar a Apae assistir as pessoas com necessidades especiais.

   Engajada e antenada com as obras assistenciais ela ainda participa do “Fashion Luz” – desfile com modelos locais que vestem as roupas das lojas e boutiques parceiras nas categorias adulto e infantil. Toda a renda com a comercialização dos convites é destinada à manutenção da Apae. 

   Fabiana revela que um total de 110 alunos, entre crianças, jovens e adultos, participam atualmente dos programas pedagógicos específicos e a parte lúdica no atual gerenciamento eficaz e humano aos assistidos com necessidades especiais.

   A entidade oferece às assistidas atividades esportivas, cultural, educação profissional, asssistência social e brinquedoteca. Também busca parcerias para os serviços de fonoaudiologia, fisioterapia e psicologia.

   A saúde clínica e odontológica é sob a responsabilidade dos pais, mas a entidade promoveu uma parceria com a Secretaria Municipal de Saúde que oferece esses serviços médicos.

   No momento com a indesejável pandemia, a diretora explica que a preocupação aumentou com os assistidos. As atividades escolares são feitas em casa com acompanhamento da equipe especializada em parceria com a família.

   A APAE oferece além do cuidado e zelo com cada um dos especiais, kit álcool em gel, cesta básica, cesta verdura.


O presidente Cláudio Oliveira cita ajuda de empresários


  
Cumprindo um mandato que se iniciou em janeiro deste ano e se prolongará até 2022, o atual presidente Cláudio Oliveira aponta algumas dificuldades que ele e a sua equipe de trabalho enfrenta com muita determinação e apoio do empresariado para vencer.

   Uma das primeiras ações foi canalizar algumas parcerias que vem possibilitar a quitação de débitos pendentes encontrados na instituição.

   Antes da pandemia a Apae vinha contando com parcerias celebradas através de convênios com a Faculdade do Pantanal, que ajudava nas atividades fisioterápicas e também na parte pedagógica dos assistidos.

   Ele cita ainda convênio com a Unemat, que possibilitava atividades de Educação Física com os alunos, além da universidade garantir a elaboração de importantes projetos.

   A parceria com profissionais psicólogos é de uma importância fundamental “e tem nos ajudado bastante”.

   Oliveira cita atividades realizadas ou que ainda estão em andamento: a revitalização e a cobertura da vila com dez apartamentos que são alugados e que garantem renda para manutenção; pintura da fachada de toda sede graças a parceria com o 2º. Batalhão de Fronteira. O quartel costumeiramente comparece à escola com a sua solicitada banda de música, as crianças gostam bastante de ouvir a apresentação dos militares músicos.

   Entre as realizações da atual presidência, estão a manutenção da piscina e toda reforma do auditório e também do refeitório incluindo o mobiliário, cujo projeto e a verba já estão assegurados. “As parcerias, os eventos a exemplo da Live em prol da Apae com os cantores Pescuma, Henrique e Claudinho, garantiu uma arrecadação em torno de 75 mil”. Essas ações têm possibilitado a entidade continuar suas atividades essenciais voltadas a total atenção e assistência fundamental numa melhor qualidade de vida as pessoas com necessidades especiais. Toda ajuda e parceria será sempre bem-vinda.

ABAIXO A ATUAL ESTRUTURA DA APAE/CÁCERES
 


Comentários: ( 4 ) cadastrados.
Por: Marionely Viegas
Caceres
Eu, nos anos 80 regularizei a área doada por seu Joaquim Castrillon, através de açáo de usucapião. Só para lembrar o amor que tenho pela APAE
16/09/2020 17:03:00

Por: Aparecida Santana
Cáceres
Que lindo trabalho do frei Gumaru. Ele veio da Holanda no início dos anos 60 e deixou trabalhos sociais impressionantes, como a APAE de Cáceres. Palmas para todos os voluntários que trabalharam nesses 44 anos dessa instituição.
08/09/2020 14:47:58

Por: Jade Cunha
Cáceres
A apae melhorou muito, as crianças mereciam esse tratamento que tem hoje, um lugar com mais atividade e qualidade de vida pra eles... Parabéns a todos que trabalharam por isso...
08/09/2020 09:19:42

Por: Vantuir Dalbem Soares
Campo Grande
Saudade dos tempos em que a banda de música do 2° Batalhão de Fronteira da qual eu era músico, tocava para as crianças. Parabéns pra essa entidade de grande responsabilidade e de um exemplo impar em cuidar das nossas crianças especiais.
07/09/2020 13:39:53

Faça o comentário para a noticia: APAE comemora 44 anos de história em Cáceres

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.