17/07/2020 - 08:03

Por: Jânio Batista

Freis holandeses: Uma difícil despedida na cidade...


Foto: Wilson Kishi



Foi com muita emoção que cidadãos, familias, educadores, autoridades e ex-alunos do Colégio que estudei se despediram dos MESTRES HOLANDESES que deixaram marcas profundas em várias gerações nos jovens que estudam no "Instituto Santa Maria" - conhecido na cidade carinhosamente como "Colégio do Freis". Frei Matheus, Frei Gumaro e Frei Marino chegaram jovens, com aquele sotaque de estrangeiro, foram cativando a sociedade e os jovens pelo zelo com a educação, disciplina e visão do mundo.

Freis consagrados pela ordem Terceira de São Francisco, com votos de pobreza, obediência e castidade, deixam um legado extraordinário, um patrimônio construído ao longo de 60 anos na cidade. Outros que vieram com eles morreram, mas foram importantes para os Cacerenses...! Há dois anos que a Congregação anunciou definitivamente que eles haveriam de voltar devido a idade avançada, a entidade envelheceu e não surgiram mais jovens vocacionados  para substitui-los...! Um deles, Frei Matheus desejou ficar até o fim de sua vida em Cáceres. Porém a Congregação foi definitiva no recolhimento de todos e assim a cidade se despediu dos três heróis da educação.

Nesse período da espera da partida, muitas homenagens receberam dos ex-alunos, alguns deles avós como eu. A grande pena foi que nesse período de Pandemia o calor humano do cacerense foi contido nas homenagens e despedidas. A maior emoção para mim foi ouvir e vê-los numa gravação de vídeo que circulou nas redes sociais -  já dentro do avião que se preparava para a decolagem, o Comandante da aeronave anunciou os três passageiros especiais idosos que se despediam do Brasil despois de 60 anos de trabalho na cidade de Cáceres. Relatou e agradeceu o trabalho deles na cidade e os passageiros aplaudiram calorosamente os três educadores que deixam o Brasil com a marca cristã do seus trabalhos e a humanidade desses holandeses amados pelo que fizeram para várias gerações de jovens.

Eu, modestamente se fosse escrever sobre eles, é o que farei um dia em breve - vai ser escrever um bom LIVRO recheado de momentos dentro e fora da sala de aula na convivência com esses Mestres. Eles foram a base do que sou hoje. Com Frei Marino, aprendi um pouco de Marcenaria, da dedicação ao trabalho planejado e sobretudo a limpeza no local de trabalho, o cuidado com as ferramentas. Frei Marino, um homem atencioso, tinha um carinho no ensinar, era silencioso nos seus afazeres na oficina. Com Frei Gumaro, aprendi a amar meu país, a me encantar a cidadania, a procurar ser útil no lugar onde vivo. Nas suas aulas de Educação Moral e Cívica (OSPB). Ele ia além do currículo em plena ditadura...! Mostrou o mundo, as civilizações e amor pela leitura. Sorriso fácil, extremamente didático, Frei Gumaro me encantou com a arte de ser Professor. Frei Matheus foi com quem mais convivi além da sala de Educação Artística. Aprendi ser criativo, a amar as artes (tenho 100 quadros de arte na minha casa...) Esse holandês foi meu Mestre, ensinou a gostar de plantas, cultivar orquídeas, a gostar de música e ter alegria no fazer as coisas, disciplina em tudo que faço...!

Nessas despedidas não poderia deixar de acentuar dois Freis que faleceram. Frei Beltrano, um construtor. Fez tantas obras e pude acompanhar seu trabalho nas ampliações do Colégio, na feitura do Hospital Bom Samaritano que abriga os pacientes com a patologia do "Fogo Selvagem" - ali deixei alguns quadros que pintei nas aulas com Frei Matheus. As artes eram para alegrar o ambiente de dor e tratamento. Outros alunos fizeram esse trabalho. Outro Mestre que tenho gratidão é Frei Grion, assim conhecido entre nós. (Frei Grignon era seu nome de batismo) Ele foi o único Frei que foi além da missão - se tornou Padre. Mas antes foi Professor de ensino religioso, preparou-me para a "primeira comunhão", um santo homem dedicado aos doentes e pessoas no final da vida. Um incansável sacerdote que percorria a cidade atendendo as pessoas com sua bicicleta. Toquei em várias celebrações ministrada por esse dedicado Padre.

De longe acompanhei as despedidas, no silêncio do meu quarto refletindo com gratidão  o que esses educadores estrangeiros foram importantes na minha vida quando os conheci na última série do primário e segui as séries do ginásio até a sétima série - daí fui para o Seminário fazer a oitava série, o segundo grau e Filosofia...! Meu sentimento é gratidão e saudades boas com desejo sinceros a fim de  que os dias desses homens que voltam para suas origem de nascimento, nessa terra tão distante que é a Holanda - que sejam dias suaves até os fim de seus dias...!

Por Jânio Batista de Macedo 

Comentários: ( 6 ) cadastrados.
Por: Fleury Leite de Souza
Rondonópolis
A passagem destes Freis: Matheus,Gumaru,Marino foi de grande relevância a nossa Cáceres.
A denominação mais justa é chamá-los de Apóstolos da Paz .
Estudei até a oitava série no ISM e sempre me senti orgulhoso em fazer parte desta escola muito Exemplar.
Quero dizer que todo conhecimento recebido neste período de ensino básico contribuiu grandemente para a minha base de formação e buscasse mais encantamento na continuidade dos estudos.
Sou eternamente grato por eles.
Trouxeram para Cáceres o conhecimento e o saber numa época de grandes dificuldades.
Essa escola sempre foi impecável e dava gosto de ver a limpeza e a sua organização.
O seu corpo docente era um dos melhores da época. Cabe-me aqui ressaltar alguns nomes que ; prof. Maria Ninomya(Matemática), Prof. Natalino Ferreira Mendes e Margareth Curvo ( Língua Portuguesa), prof. Rosália (Educ. Moral e Cívica), Prof.Horebi. Enfim, foram grandes prof. notáveis.
Não posso tb deixar de ressaltar o nome de dois Freis que infelizmente faleceram antes de completarem o ciclo total, mas dedicaram suas vidas pelo bem servir; Frei Grignom que no final dos tempos foi tb ordenado Padre e Frei Marino o grande construtor.
A dedicação destes dois foi de vital importancia na formação educacional de muitos jovens; um no campo religioso e outro no campo das construções deixando a sua obra eternizada que é o Hospital "O bom Samaritano".
Em fim, podemos assim dizer, esses Freis
Holandeses vieram para o Brasil a sessenta banos atrás, plantaram uma semente e viram frutificar.
Que Deus abençoe a vida futura destes grandes apóstolos da paz que só semearam o bem.


18/07/2020 15:46:07

Por: Fábio Kenzo Kishi
Porto Velho RO
Unanimidade!
Todos os cacerenses concordam com o legado que os freis holandeses deixaram para várias gerações.
Uma escola que não devia nada a nenhuma que estudei!
Como gostaria que houvessem mais freis holandeses com o mesmo propósito e habilidades que os nossos freis tinham.
O que aprendi com o Frei Grignon na primeira série primária marcou demais e me incentivou a raciocinar! Tinha uma mesa onde após as atividades passava jogos e quebra cabeças para estimular o raciocínio!
A escola possuía Professores que tinham o mesmo objetivo: cuidar da nossa formação educacional e como ser humano de cada aluno!
Na 6a série cada um tinha um canteiro para cuidar, trabalhamos a terra e plantamos. E a responsabilidade de cuidar regando todos os dias. As meninas faziam prática do lar e nem por isso minhas colegas e amigas se tornaram donas de casas, mas sim conhecedoras dos valores do dia a dia.
Esse frei Matheus era uma figura, quantos ensinamentos nos iniciou no mundo da arte, na beleza e cuidados com a natureza, ensinou muitas coisas da vida!
O que me ensinou sobre desenho era muito à frente do que aprendi mais tarde no segundo grau em Campo Grande.
Frei Clemente (saudoso) nos ensinou Geografia de uma forma que não precisava decorar nada, apenas raciocinar! O relevo, o clima, longitude e latitude nos dizia muito sobre a economia, costumes, e outras coisas mais dos países que estudávamos. Era só olhar o Atlas, nosso inseparável instrumento de estudo.
Frei Gumaru professor de OSPB e cuidando das finanças e Frei Marino na Marcenaria/Carpintaria também nos ensinou muito!
Saudades e eterna gratidão!

18/07/2020 01:41:23

Por: Elthon Junior
Cáceres
Saudades dos velhos tempos, gratidão aos freis, marcaram a minha história....
17/07/2020 21:40:02

Por: Carlos Roberto Bolzan
Campinas - SP
FREIS HOLANDESES: SÃO ANJOS QUE HABITARAM A NOSSA QUERIDA CÁCERES!
17/07/2020 07:38:14

Por: Tania Tolotti
Cáceres
Belissima reportagem ďo Zakinews, linda trajetório dos freis. Que Deus oa acompanhe!
17/07/2020 07:30:17

Por: A. Carlos vianaCosta
Cáceres MT
Para mim a definição de tudo para homenagiar eses GRANDES E INESQIECÍVEIS HOMENS é com certeza um "PRESENTE DE DEUS", que enviuou para ajudar em todos os sentidos a nossa sociedade e população Brasileira, com as suas sabedorias e experiência incalculáveis, onde com seus jeitos simples mas determinado as vezes até rigidos mas controlados, ensinavam de uma forma mágica aos olhares dos seus aprendizado captando tudo que os FREIS nos passavam, eu e meus 4 irmãos pela inteligência de nossos queridos pais que nos encaminharam, filhos e até os netos tivermos a sorte e orgulho de fazer parte destes ensinamentos, dos FREIS minha esposa ministrou aulas no ISM, (Clair- matemática). Tenho minha gratidão em especial com o FREI MATHEUS, pela Fanfarra onde participei e participo até hoje e a profissão que adquiri desde infância, sou "Artists Plástico" de formação e tenho abilidades na área Cultural, graças aos ensinamentos adquirido pelas aulas de Educação Artística no ISM ministradas pelo FREI MATHEUS- colégio dos FREIS, jâ conheci 6 países atravéz das minhas "Artes" e tenho trabalhos espalhados no mundo inteiro.
OBRIGADO, gratidão a todos os Freis, os senhores CUMPRIRAM as suas MISSÕES, aqui na TERRA, no BRASIL, MT, CÁCERES, e nos encaminhou para o mundo, os senhores serão "ETERNOS" merecem descansar e todo nosso respeito e reconhecimento.
CARLOS VianaCosta
Artístas Plástico
Cáceres-MT
17/07/2020 07:24:31

Faça o comentário para a noticia: Freis holandeses: Uma difícil despedida na cidade...

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.