22/06/2020 - 09:00

Por: Antonio Costa / Zakinews

Raimundo Cândido dos Reis: um nome, uma história, uma referência!


Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews
Fotografias: Acervo de Adilson Reis


  
Ao prosseguir aos registros de cidadãos que deram a sua importante parcela de contribuição para o desenvolvimento de Cáceres, através dos mais diversos setores de atividade, Zakinews abre espaço para homenagear o cearense Raimundo Candido dos Reis, que muito embora, tenha nascido em Fortaleza-CE, se tornou um cacerense de coração: veio para servir o Exército, gostou, constituiu família, aqui venceu e ficou até os últimos dias de vida.


Raimundo Cândido dos Reis
, (Raimundão)

Local de nascimento: Fortaleza-CE

Data: 16 de junho de 1913

Pais: Domingos Cândido dos Reis e de Joventina Alves dos Reis

O casal teve ainda os filhos: Jorge, Maria Francisca (Dedé), Maria Perpétua, Eymard, Hermano, Carminha e Maria das Dores (Dodô).

Infância vivida no Bairro Aldeota; criança, fez sua Primeira Comunhão em 16 de julho de 1921;

Adolescente habilitou-se como Guarda-Livros (Contador) no Colégio Cearense do Sagrado Coração (1927);

Raimundo, deixou pai e mãe, bem como os outros irmãos, e partiu a bordo do Navio Duque de Caxias no ano de 1932, para cumprir as obrigações militares bem distante da sua terra natal, isto aos 19 anos de idade.

Dados levantados em 2020, os descendentes de Raimundo Cândido dos Reis, são: 4 filhos, 12 netos(as), 11 bisnetos(as) e 02 tataranetos.

 

   O trajeto pelas águas compreendeu Fortaleza ao Rio de Janeiro; posteriormente Buenos Aires na Argentina para chegar em Corumbá-MS, e, de lá, finalmente, parar em Cáceres, o seu destino final. Trajeto, que segundo o filho Adilson dos Reis, profundo estudioso e conhecedor, trata-se do trecho da Hidrovia Paraguai-Paraná.

   Após a longa viagem através das águas do mar e dos rios, Raimundo Cândido dos Reis foi incorporado ao Exército Brasileiro em Cáceres-MT no 2º. Batalhão de Fronteira, onde fez carreira.

   Passados os primeiros anos de farda, conheceu aquela que viria ser a sua companheira até os últimos dias; se casou com a cacerense Catarina dos Reis. Foi como um amor à primeira vista.

   Decidido seguir a vida militar, Raimundo foi transferido para Campo Grande, hoje MS, lá nasceu o 1º filho Airton dos Reis, que mais tarde viria ser atuante advogado e destacado deputado na esfera estadual e federal.

   Em continuidade a trajetória militar, o homenageado desta oportunidade, serviu em Aquidauana, ainda no Mato Grosso do Sul, onde nasceu o 2º filho Amilton dos Reis, que também escolheu seguir a carreira advocatícia.

   Após cumprir os anos na caserna, Raimundo Cândido foi para a Reserva remunerada como 3º Sargento radiotelegrafista; retornou para Cáceres, onde nasceu seu 3º filho Adilson Domingos dos Reis, que anos mais tarde decidiu pela carreira de engenheiro civil. Formou-se na 2ª. Turma de Engenharia da Universidade do Estado de Mato Grosso, estando até os dias atuais em atividade, especialista em assuntos estratégicos no que diz respeito a Zona de Processamento de Exportação, e a hidrovia Paraguai/Paraná, entre outros temas relevantes.

   Após o nascimento dos três filhos homens, Raimundo e Catarina torciam pela chegada de uma filha. Anos mais tarde também em Cáceres, nasceu seu 4º rebento, desta vez chegou à tão esperada filha Alba Maria dos Reis, (Psicóloga) radicada em Campo Grande-MS completando a família Cearense/ Mato-grossense. – O casal avô de seis netos, de seis netas; bisavô de três bisnetos, de quatro bisnetas e dois trinetos ou tataranetos.


O trabalho de Guarda-Livros

   Na reserva, Raimundo montou seu escritório de “Guarda-Livros” (Contador) com seu Diploma devidamente registrado pelo então Ministério da Educação e Saúde –  Diretoria de Ensino Comercial; obteve o Registro nº 309 do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de Mato Grosso, assinado pelo Presidente Aecim Tocantins em abril de 1950.

   Dr. Adilson Reis revela que, por ocasião da visita do professor Aecim Tocantis em Cáceres, na condição de patrono de formatura da Primeira Turma de Contábeis da Unemat, presenteou o ilustre contabilista formado pela Escola do Comércio do Rio de Janeiro, com uma cópia do diploma assinado por ele na condição de presidente do CRC-MT, ao seu pai Raimundo Cândido em 1950. Fato que causou fortes emoções na festiva cerimônia. (Aecim Tocantis faleceu em 2017 aos 94 anos).

   Vale ressaltar o trabalho do Guarda-Livros era de suma importância na movimentação contábil das grandes fazendas produtoras de gado, nas de plantação de cana de açúcar, além das casas comerciais de grande porte que fizeram parte da vida de Cáceres no passado.

   Então nessa época, Raimundo Cândido, pôde prestar apoio de grande valia nesses setores, exercitando a Contabilidade que ele aprendeu ainda na adolescência em sua Fortaleza-CE. O trabalho serviu ainda mais para que o mesmo fosse inserido de maneira participativa no contexto social.


A vida pública

   Após cumprir o tempo de serviço ao Exército Brasileiro, o nosso homenageado in-memorian, viu na política uma oportunidade a mais em poder dar a sua parcela de contribuição a cidade que escolheu para ser a sua segunda terra. Foi então que se lançou candidato a vereador pela Câmara Municipal de Cáceres.

   Em 1962 foi eleito Vereador pela extinta UDN, tomou posse em 1963, sendo eleito Presidente da Câmara Municipal de Cáceres, tendo como Vice-presidente: João Antônio F. Souto, 1º Secretário: José da Lapa Pinto de Arruda e 2º Secretário: Luiz Castrillon.


  
Nos anais da Casa Legislativa Cacerense, um dos seus mais marcantes trabalhos foram as Leis de Reforma Tributária e Administrativa de Cáceres, sancionada em Sessão solene em 6 de Outubro de 1963 (185º aniversário da cidade).



  
Participou pela Associação Brasileira Municípios do 6º Congresso Nacional de Municípios em Curitiba-PR, ao lado do então Prefeito Dr. José Rodrigues Fontes.

   Nessa época em que foi vereador, Raimundo Cândido dos Reis, não recebia subsídio. Algumas vezes tinha até mesmo que tirar do próprio bolso para poder cumprir uma agenda que fosse do interesse do seu município.

   Pelo trabalho exercido como vereador, a Câmara de Cáceres prestou-lhe duas homenagens em forma de Moção que consta nos anais do Legislativo: em outubro de 2009 o vereador Elson Pires propôs com aprovação unânime, Moção de Reconhecimento pelo trabalho exercido no setor de Contabilidade do município.


  
No ano de 2013 – centenário de nascimento -, a Câmara de Cáceres concedeu-lhe in-memorian a Moção de autoria dos vereadores Alvasir Ferreira Alencar e Tarcisio Carlos Paulino e assinada por todos os integrantes daquela legislativa, como forma de homenagem e de reconhecimento do trabalho e dedicação em prol do munícipe cacerense.

   Oportunidade em que o “Dr. Adilson Reis”, como é conhecido o renomado engenheiro civil, preparou um vasto documentário com riqueza de detalhes e inúmeras fotos que foi exibido aos presentes especialmente convidados para magnífica sessão solene na Câmara. Membros da família do saudoso homenageado compareceram para agradecer e prestigiar a honrosa homenagem.

Radioamador

   Adepto das comunicações, radiotelegrafista que era, instalou sua estação de radioamador, com o nome “Sentinela de Cáceres”, associando-se à Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão-LABRE, com o prefixo PY9GG.

   A atividade cumpriu papel dos mais importantes e significativos na história dos mais distantes locais do rincão pátrio, principalmente deste lado do interior brasileiro. A enorme distância dos centros mais avançados do país, a inexistência das estradas, a falta de um meio de comunicação ágil e pontual, dava ao radioamador a responsabilidade de aproximar as pessoas.

   Assim ele tinha a missão de captar as mensagens e retransmiti-las. Dessa época o filho Adilson dos Reis guarda na memória as saudosas lembranças de criança. Ele deitado em uma rede acompanhava atentamente o trabalho do pai no radioamador até altas horas da noite...

   “Até hoje trago na memória essa fase marcada por uma inesquecível lembrança do meu pai. Na maioria das vezes eu pegava no sono e cabia ele levar-me para deitar. Eu era como seu companheiro e ele, o meu todas as noites quando cumpria a sua missão no rádio”, relembra emocionado.

   O filho ao falar do pai se enche de orgulho. Revela que guarda belas passagens dessa harmoniosa convivência familiar. Enfatiza ter recebido preciosos ensinamentos guardados através da vida. A rigidez do regime militar como era seguido por Raimundo, também marcou a criação dos filhos em saber ter responsabilidade no trato com as coisas, em assumir e cumprir os compromissos; o pai enérgico e amigo ao mesmo tempo. Isso ele, Adilson, carrega na memória até os dias de hoje.

   Ainda lembra por exemplo, do bife a cavalo que saboreava na companhia do estimado pai na Confeitaria Paulista; do mate gelado na sorveteria dos Irmãos Atala.  

Destacado maçon

   Sempre apto em disponibilizar seu tempo em prol das instituições e organismos atuantes na vida da Cáceres de outrora, Raimundo Cândido teve atuação destacada como Venerável Mestre da Augusta e Respeitável Loja Simbólica Maçônica União e Força; fundador da Escola União e Força; homenageado com seu nome dado a 1ª. Escola de Contabilidade de Cáceres: Escola Técnica de Comércio Raimundo Cândido dos Reis; ocupou várias funções, participando do lançamento da pedra fundamental das suas atuais instalações.

   Sobre a Escola Técnica de Comércio que levou o nome do homenageado, prestou significativa importância na formação de técnicos em contabilidade. Uma maioria desses profissionais já militava no setor, porém não possuía o diploma que os habilitasse para o exercício da profissão. Ao frequentarem a escola, adquiriram a necessária competência para o exercício profissional. Caso do saudoso Gilberto Haueisen (Mineiro), José Matheus Gomes Filho, Gonçalo Gomes de Arruda Sobrinho, Mário Márcio Gomes, Tarcio Fontes Ramos, etc.


Salão de Eventos do Rotary terá o seu nome

   Ainda com relação a participação e engajamento do homenageado nos clubes de serviço, ele foi um dos fundadores e Sócio Representativo do Rotary Club de Cáceres, tendo também exercido sua Presidência; hoje honrosamente tem seu nome definido para nominar o espaço de eventos da Instituição na Rua 13 de Junho.

   O atual governador do Rotary International, Distrito 4440, Washington Calado, lembra que quando estava na presidência do Rotary Club de Cáceres, no ano de 2013, apresentou proposta votada e aprovada pela denominação de Raimundo Cândido dos Reis, do Salão de Eventos do Clube Rotário. “O companheiro in-memorian foi presidente e sócio fundador,  o filho Adilson dos Reis é sócio honorário; a sua filha Aldemira é parceira nas ações rotárias. Ou seja, a família tem o Rotary no DNA”.

   Nada mais justo, segundo Calado, que a família venha ser agraciada com o nome do patriarca Raimundo Cândido dos Reis no salão de eventos que está em construção. Ele projeta que a atual presidente Rosana Michelis, fará todo o esforço no sentido de, o mais breve possível, inaugurar a obra localizada no centro de Cáceres, anexo ao prédio da instituição, à Rua Treze de Junho.


11 de dezembro a triste e longa noite de espera

   Raimundo Candido dos Reis, acometido por uma doença, foi buscar tratamento médico em Campo Grande-MS onde está sediada a Nona Região Militar. Ele, como militar da Reserva, tinha na hoje capital Sul-mato-grossense, sua base de suporte para os tratamentos médicos, daí ter-se deslocado até lá para cuidar da saúde.

   Por mais de uma vez não só Raimundo, também outros militares, se dirigiam à Campo Grande para receber cuidados médicos. Numa dessas idas o cearense-cacerense acabou falecendo.

   Sobre o fatídico acontecimento, o único filho homem vivo, lembra num misto de saudade e tristeza que abateu sobre ele na data de 11 de dezembro de 1965. Então com 15 anos o adolescente viveu as longas horas da chegada do corpo que foi transladado de avião. Os irmãos mais velhos foram buscar os restos mortais do pai.

   Adilson ficou sozinho em casa. Por problemas de mau tempo no voo, eis que o avião teve que pousar numa fazenda em pleno Pantanal, e adiou em um dia a chegada do corpo.

   Ele recorda que naquela noite um baile acontecia no extinto Esporte Clube Humaitá – o Azul e Branco da Rua Coronel José Dulce. As canções de Poly e seu Conjunto invadia a noite. Ele, sem sono, sem vontade de dormir, foi até a frente do clube, sentou na mureta do histórico prédio do Governo Municipal, e ali passou a sua triste noite.

   Assim chegava ao fim a trajetória de lutas do cearense que escolheu a terra cacerense para prosperar. Fez amigos, muitos que o chamavam carinhosamente de Raimundão. Deixou o seu legado exemplar de trabalho e comprometimento com o exercício de fazer o bem ao próximo, e sempre disponibilizar o seu tempo e atenção para ajudar a construir.

   Raimundo Cândido dos Reis, o cearense com coração cacerense

 

RAIMUNDO CÂNDIDO DOS REIS: ALÉM DE UM CENTENÁRIO!


Rio da eternidade.
Alameda da saudade.
Ilha e arquipélago, humanidade.
Migrante Nordestino determinado.
União e Força neste Estado Federado.
Navegante da língua portuguesa em expressão.
Delta do exemplar e pleno exercício do ser cidadão.
O cacerense amigavelmente chamado de Raimundão.

Contabilidade, profissão.
Âncora familiar em mais de uma geração.
Notável como primoroso orador. Vereador.
Dileto, e, amado padrinho em pia batismal.
Irmão e Mestre na pedra bruta polida e lapidada.
Determinado no ideal do ensino e do saber plural.
O seu nome em honroso reconhecimento educacional.

Dia de palmas pelo seu viver.
O centenário continuado em espiritual alvorecer.
Salvas em versos que voam pelas asas da gratidão.

Relembrar a sua estória
E senti-lo no compasso do Oriente Eterno.
Instante poetizado para pedir a sua bênção, avô paterno.
Sempre Fortaleza existencial. Para sempre, Cáceres, cordial!

(Neto Airton dos Reis Júnior, em saudação aos 107 anos do homenageado).

Cuiabá-MT, 16 de junho de 2020.

 

 
 
 
 
 
 



Comentários: ( 13 ) cadastrados.
Por: ABNILDO RIBEIRO DA SILVA
CUIABA
Parabéns aos autores das reportagens, e registro da historia de nossa cidade, conhecimento e cultura, assim valorizamos cada vez mais a nossa historia.
Cumprimento o mestre, Dr Adilson Reis e família pelos brilhantes serviços prestados a Cáceres-MT.
Hoje resido em Cuiabá e com saudades da terra natal, fico feliz em ler estes brilhantes trabalhos de jornalismo.

Sucessos Zakinews.
26/06/2020 00:20:58

Por: Ana Lúcia de Sousa Reis
Fortaleza
Tio Raimundo, era irmão do meu pai Jorge e apesar da pouca lembrança fisica dele, foi uma pessoa muito querida por toda família. Ele conseguiu manter o elo de amor entre o Ceará e Mato Grosso e como resultado disso construiu com tia Tita uma família linda, da qual temos o maior orgulho de fazermos parte, além de sua trajetória de vida brilhante. Quero agradecer a iniciativa de nos presentear com essa reportagem maravilhosa.
25/06/2020 15:07:04

Por: Prof.Janio Batista de Macedo
Campo Grande MS
Jornalista e amigo Antonio Costa, creio que você ao descortinar essa linda história sobre a vida do Raimundo Candido dos Reis, organizando as informações de sua história obtidas pelo filho ilustre Engenheiro Adilson do Reis deve imaginar junto com o valoroso Wilson Kishi o grande serviço de resgate históricos para as futuras gerações sobre esse cidadão que veio de tão longe e amou nossa cidade natal ajudando a torná-la melhor. Ele viveu até seus últimos dias dedicando amor a cidade de Cáceres, se tornado integrante dela como foi seus dias como militar, como profissional da contabilidade, deixando um legado que jamais será esquecido...! Os cacerense lendo essa historia voltam nos bons tempos dessa cidadania. Belas recordações...!

Na minha pouca idade quando adolescente lembro do meu saudoso pai Adauto Félix de Macedo discorrer sobre o valoroso Raimundo Cândido dos Reis. Na Rua Marechal Deodoro onde nasci ainda vive os frutos dessa família que ele construiu. Ler cada linha desse tributo ao ilustre Rotariano mexe com minhas emoções e me transporto nos dias de menino que fui lembrando desse personagem que adotou Cáceres como sua cidade e nela deixou sua marca indelével com seu trabalho e a formação de seus filhos que ainda são vizinhos da minha querida mãe Dona Nina Macedo que aí vive com seus 81 anos de idade. Parabéns Wilson Kishi...! Parabéns Antonio Costa pela iniciativa de registrar as histórias das pessoas e seus familiares tão importantes na nossa Princesinha do Paraguai...!

Algumas pessoas são importantes, outras especiais. Algumas são diferentes, outras fazem a diferença. Uns fazem falta, outros se tornam essenciais...! Reverêncio aqui o Engenheiro Adilson dos Reis, seus familiares e antepassados - ele, meu vizinho, filho de Raimundo Cândido dos Reis esse batalhador pela construção e avanço da minha cidade natal - a ele minha gratidão. Cáceres acolheu Raimundo Cândido do Reis e ele amou essa cidade como sua até o fim dos seus dias. A história do grande "Raimundão" nascido em Fortaleza CE, foi um de cacerense honrado...! Como diz o Poeta Carlos Drummond: "...O homem distingue-se pelo que faz..." Raimundo Cândido dos Reis realizou muito enquanto viveu. (Prof.Jânio Batista de Macedo)
22/06/2020 15:13:39

Por: Maria Stefani Rocha
Caceres
Não conheci a pessoa do senhor Raimundo Cândido dos Reis, mas estudei na escola de contabilidade com seu nome(1971-1974).

Conheci todos os seus filhos , dado a proximidade de amizade de minha família com a família Reis. Tivemos convivência maior com os filhos Dr Airton e Dr Adilson Reis. Família possuidora de valores nobres, lembro de todos com muito carinho. Esta família merece muito ter seus nomes perpetuados na história de Cáceres. Como Dr Airton Reis, cidadão cacerence, advogado, deputado Estadual e ainda foi professor da extinta Escola Técnica de Contabilidade fundada pelo seu pai. Foi solicitado anteriormente 2019 ao legislativo do Estado para dar o seu nome a Escola Técnica Estadual, quando.da promessa de sua inauguração que não aconteceu em maio de 2019. Agora já circula mudança do nome proposto anteriormente, lembram Kishi, Dr Leonardo, até a biografia dele foi apresentada na época com auxílio de seu irmão o engenheiro Adilson Reis. Aí fica a pergunta , porque está ocorrendo esta mudança? Nao tenho nada contra o nome de Adriano Silva, mais é uma falta de respeito para com está família cacerense cujo nome foi proposto anteriormente.
22/06/2020 14:03:38

Por: NESTOR FERNANDES FIDELIS
120
Parabéns ao Zakinews, Kishi!!!

Que matéria linda, registando uma das pessoas que na história recente mais contribuiu para o bem comum em nossa terra.

Rosair, sua neta e nossa amiga, havia enviado ontem esses documentos da Câmara Municipal, o que trouxe a felicidade de ver, também, meu pai (ainda com o sobrenome Mendonça, corrigido anos mais tarde) como o vereador mais votado naquele pleito de 62, com menos de 300 votos... interessante isso.

Quando viemos definitivamente para MT, após a eleição de 1982 (meu pai precisou se ausentar durante a fase mais violenta da Ditadura Militar), ficamos alguns meses na casa do Tio Airton (pai da Rosair e do Airtinho), mas também me recordo de, anos antes, ter me hospedado na casa do Tio Amilton, ou seja, nossa relação sempre foi familiar, como fazem prova essas imagens resgatadas pelo Kishi.

Parabéns, novamente! Os cacerenses merecem conhecer a sua história.
22/06/2020 12:19:55

Por: Marizete Carneiro Guimarães
Cáceres
Quando aluna dessa escola, que amo, fiz um trabalho sobre seu fundador, o que me trouxe grande admiração e carinho por esse ser humano querido, que deixou rastros de luz por onde passou.
Meu amigo Kishi (pai) me forneceu fotos pra ilustrar meu trabalho!

Gratidão!
22/06/2020 11:21:29

Por: Vantuir Dalbem Soares
Campo Grande
Eu cheguei conhecer o Dr. Airton dos Reis, filho do Raimundão em Cáceres e região nos anos 70. Bela história do pioneirismo da nossa rica e linda região.
22/06/2020 10:33:40

Por: Airton dos Reis Júnior
Cuiabá
Antonio Costa e Wilson Kishi,
mais uma vez, abrem o Livro da História
de Cáceres-MT em memoráveis capítulos da cidadania.
Congratulações para essas iniciativas que avistam com
meritórios reconhecimentos aqueles e aquelas, filhos e
filhas nascidos, ou de coração, que fizeram de Cáceres
o berço familiar sólido, e, seguro, edificado mediante os
alicerces inquebrantáveis da cordialidade, da fé, e, da esperança
em dias plenos de prosperidade e de bonança a todos os seus munícipes.
Gratidão de Rosimar, Rosair, Paola, Pedro e Miguel.
Atenciosamente, Airton dos Reis Júnior.
22/06/2020 09:58:03

Por: Bruno homem de melo
Cuiaba
Que materia extraordinária, fruto de uma vocação sensacional do Dr. Adilson dos Reis pela preservação da história em nosso municipio.. muito me emocionou ver o lendário patriarca da família Reis, meu vo José da Lapa, tios Gilao, Walter fidelis, João deluque, João Pinheiro, o gde contador Dr. Gonçalo, um dos poucos q podem vir testemunhar esse gde passado.. muito lindo mesmo.. Parabéns a família dos Reis.. precisamos em Cáceres de líderes que sobretudo amam a cidade e amam sua população como se fosse sua própria família, eis o segredo dessa turma citada na matéria e eis o segredo p o nosso melhor futuro.. Parabéns Kishi pela matéria
22/06/2020 09:44:05

Por: Marionely Viegas
Caceres
Parabens!!!! Não conhecia a historia desse homem guerreiro e guerido por Caceres. Sabia dos seus filhos,admiro e tenho o maior apreço pelo AMIGO Adilson Dos Reis
Enriquecedora a matéria
Homem de valor inestimavel para Cáceres. Agora entendo a luta de Adilson dos Reis
ESTA NO DNA!!!!
22/06/2020 09:27:04

Por: Edilson J Viana Costa
Cáceres Mt
Uma bela homenagem, a quem fez história e ajudou no progresso de nossa cidade! Contada com a sensibilidade e o talento impar do Toninho Costa!
22/06/2020 09:13:49

Por: Adilmira Catherine Sa dos Reis
Cáceres
Bela matéria! Extremamente feliz, em ver o resgate da memória da família cacerense sendo abordado e contado neste espaço.
Nossa família, Reis, agradece ao Sr. Kishi, pela brilhante iniciativa em preservar a história de Cáceres e seus filhos ilustres.
Parabéns ,ao meu pai, Adilson Reis , tia Alba e primos pelo resgate de nossa história.
"Cáceres, passado, presente e futuro, registrado na memória "!
22/06/2020 09:06:51

Por: ALCIDES DE BARROS
Cáceres - MT
Parabéns a toda família. Linda história de vida.
22/06/2020 08:51:59

Faça o comentário para a noticia: Raimundo Cândido dos Reis: um nome, uma história, uma referência!

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.