03/02/2020 - 09:00

Por: Antonio Costa / Zakinews

Natalino Anacleto da Costa, uma vida e muitas lutas!


 

Antonio Costa, EXCLUSIVO ao Zakinews

 

NATALINO ANACLETO DA COSTA
Cacerense, 88 anos (23-10-1931)
Filho de Felipe Anacleto da Costa
e de Antonia Maria da Costa. Oito irmãos
Militar aposentado do Exército Brasileiro
Licenciado em Letras pela Unemat
60 anos de casado com Catarina Viana da Costa
O casal teve cinco filhos: Aloísio, Eliane, Edilson, Antonio Carlos, Natalino


  
Falar do cidadão Natalino Anacleto da Costa, é viajar no tempo e ouvir inesquecíveis histórias de um passado ainda bem guardado em sua memória, em que pese os 88 anos de uma vida simples e exemplar, dedicada ao exército nos tempos que serviu no histórico 2º. Batalhão de Fronteira, até se aposentar após mais de vinte anos de serviço.

   O nosso entrevistado da semana estudou no então ginásio Onze de Março; fez curso de admissão em Poconé onde também ficou em regime de internato por longos quatro anos. Durante esse tempo não voltou para visitar os pais. Lembra que nessa época não tinha estrada, e, vir de Poconé para Cáceres, era uma longa e difícil aventura em lombo de cavalo...

   No internato conviveu com outros seminaristas de Cuiabá, Várzea Grande, Guajará Mirim. Lembra que foi colega do hoje Bispo Emérito de Cáceres, o poconeano Dom José Vieira de Lima, que seguiu a vida religiosa, o mesmo não aconteceu com o então adolescente Natalino Anacleto da Costa, que abandonou o seminário e resolveu voltar para o convívio da família. 

   Dessa época até hoje adquiriu o hábito de frequentar a igreja, sempre que pode vai a missa. Se ele, não seguiu a vida religiosa, coube essa missão ao primo Roberto Gomes de Arruda, chegou a ser bispo e dedicar vários anos em Guajará- Mirim-RO.

   Seu Natalino ou simplesmente Costa como também é conhecido, entrou para o serviço militar no distante ano de 1951, época em que o Batalhão de Cáceres era comandado pelo Coronel Oestee, que segundo imagina, deveria ser descendente de alemão.

   Tempos de uma caserna dura e de uma rigidez disciplinar autêntica dos militares de outrora. Hoje, segundo o nosso entrevistado, ir ao quartel “é como se divertir num passeio...”. Os tempos se encarregaram de mudar e transformar o exército na sua opinião.

   Ele serviu nas companhias: 1ª, 2ª, e na CPP. Fez cursos de cabo e de sargento, onde fez carreira até se aposentar. Mesmo revelando o regime disciplinar austero que eram submetidos os militares, ainda assim, lembra da maneira cortês como era tratado pelo Capitão Hélio Vilanova Torres. “Um pai, um grande amigo...sempre eu tinha permissão para transitar na rua após o horário permitido, que era até as dez da noite”, revela. O referido capitão chegava até mesmo a dar documento em branco assinado “para que fosse por mim preenchido”.

   O nosso entrevistado revela que constantemente aconteciam arruaças e badernas promovidas por soldados, pareciam que os subalternos queriam mesmo eram desafiar o regime da época...ai a PE- Patrulha do Exército entrava em ação e o corre-corre era geral na pacata Cáceres de outrora.

- A patrulha estava nas ruas todas as noites, e, dava-se a impressão que os comandantes tinham mesmo era prazer em punir os subalternos.

   Seu Natalino ainda guarda na memória um fato que tentaram incriminá-lo numa dessas bagunças em uma casa onde acontecia uma festa de santo no bairro da Cavalhada...Ele e um colega de farda passaram por lá, mas não permaneceram. Lá pelas tantas apareceram militares bagunceiros e promoveram verdadeira arruaça no local.

   Foram detidos... E citaram seu nome também como se tivesse participado da bagunça; ou seja, armaram uma casa de caboclo pra ele... Intimado para comparecer no quartel, bastante surpreso, Natalino da Costa foi advertido pelo comandante da companhia: “até você, 22...!”

   Após se explicar o superior percebeu mesmo que era uma armação que fizeram pra ele, foi liberado.

   Por volta do ano de 1960 foi destacado para cumprir a vida militar no Destacamento de Corixa. Alí conheceu a “digníssima” como fez questão de exaltar, Catarina Viana da Costa. Conheceu, enamorou e com ela se casou. Estão juntos já por sessenta anos. Sobre a união conjugal, Natalino Anacleto considera que passa muitas vezes por momentos bons e outros periclitantes...É um aprendizado constante o ato de viver o matrimônio. Segundo ele, a religião ajuda muito, pois casal que reza unido, permanece unido, filosofa.

   Lamenta que nos dias atuais o casamento não dura muito, são raros os que permanecem até a morte. “Parece que não estão ligados a Deus... vai tocando o relacionamento de qualquer jeito... começa namorar, já tão juntos”.

   Ainda na localidade de Corixa, ele foi professor. Foram muitos, segundo ele, os corixianos seus alunos que aprenderam ler e a escrever.

   Sobre esse tempo, Natalino revela que o rádio era o principal e importante veículo de comunicação principalmente na zona rural. Cita que teve uma época que os soldados destacados adquiriram praticamente todo o estoque de rádio a pilha, da conceituada Casa Ideal, cujo proprietário era o comerciante José da Lapa Pinto de Arruda. O rádio informava, distraía e ajudava passar o tempo.

   Hoje só ficaram as lembranças da época da vida militar. Após cumprir seu tempo de serviço na farda verde oliva, Natalino Anacleto ainda continuou a trabalhar. Foi servidor do Cartório do 1º. Ofício, da cartorária Bel Marília Freire de Campos Fontes. Foi servidor do Detran durante quatro anos; assim como da Prefeitura de Cáceres, outros dez anos. Saiu após ter atingido o teto máximo da idade, ou seja, setenta anos.

Fazendeiro Davin Correa abastecia o Mercado Municipal

   Após relatar passagens importantes de sua vida ao lado de seus familiares e amigos, Natalino Anacleto também deu informações ricas e interessantes da Cáceres de outrora...

   Lembrou com um misto de melancolia e prazer das comitivas de burros e bois que chegavam da região da Morraria com carregamentos de gêneros alimentícios de toda ordem para abastecer o comércio local.

   Nos cargueiros as bruacas vinham lotadas de alimentos, a exemplo de arroz, feijão, milho, toucinho seco, banda de porco defumada, farinha de mandioca, rapadura, mel de jati, doce de leite, etc.

   No comando de pelo menos cinquenta animais entre burros e bois, estava o abastado fazendeiro Davin Correa, de revólver na cinta, com grau de parentesco com o médico da época, dr. Geraldo Correa da Costa. Davin era dono de progressista e muito bem plantada fazenda na região da morraria. Era praticamente tudo dele as mercadorias que abasteciam o Mercado Municipal, que funcionou por longos anos, onde mais tarde foi também o Museu até setembro de 2019.

   Após a estafante viagem até Cáceres, os animais se amontoavam em grande parte do espaço onde hoje se localiza a Praça Major João Carlos onde se descansavam até o retorno a fazenda.

   Os mantimentos da Fazenda de Davin abasteciam toda Cáceres. Os comerciantes adquiriam os produtos posteriormente para revenderem em seus estabelecimentos comerciais espalhados pela cidade.

   Posteriormente mais tarde, o referido fazendeiro que residia em Cuiabá, deixou de atender Cáceres e se enveredou para atender os garimpos que começavam a surgir. Supõe-se que conseguia preços melhores ao ofertar os seus diversificados produtos alimentícios nas áreas de garimpo. 

A importância da gestão Ernani Martins

   Sobre os administradores municipais da recente história cacerense, seu Natalino recorda do saudoso ex-prefeito Ernani Martins, que faleceu em 2018 em São Paulo. Ernani administrou a sua cidade natal por dois mandatos (1967 a 1970, e posteriormente entre 1975 a 1980).

   Foi no primeiro mandato que ele implantou importantes melhorias na cidade, a exemplo da rede de água, construção de praças, aquisição de motor de luz a diesel no governo Pedro Pedrossian quando os dois estados eram únicos. Teve início o calçamento das ruas com bloquetes que eram produzidos pela própria prefeitura; o cimento era transportado de Corumbá-MS através de barcaças pelo Rio Paraguai. Ernani era proprietário também da Emaco Materiais de Construção, detentor da venda do conhecido Cimento Itaú

   Natalino cita ainda como de uma relevância fundamental para o desenvolvimento de Cáceres, a abertura de diversas ruas após a rodovia que cruzava a cidade até passar pela Ponte Marechal Rondon. Uma densa mata cobria aquele então enorme trecho próximo da cidade. A determinação do prefeito Ernani Martins em abrir as ruas oportunizou o surgimento de bairros como o do Junco, Rodeio, Garcês, etc., ocasionando também a expansão e crescimento de Cáceres.

   O braço direito do então prefeito da época, era o João de Souza, conhecido como “João Fuxico”. Mestre de obra de mão cheia. Veio de Corumbá-MS para comandar as obras de ampliação do Colégio Imaculada Conceição, o Colégio das Irmãs Azuis. Aqui permaneceu trabalhando como mestre de obras da prefeitura, adquiriu família e ficou até os últimos dias de vida.

Diversões da época

   Entre as diversões da outrora pacata Cáceres, ele cita as memoráveis partidas de futebol no antigo Estádio Alfredo Dulce, gostava de assistir as partidas do Cacerense, Mato Grosso, Esporte Rei, etc. Torcedor do Corinthians, apreciava assistir corrida de cavalo. Lembra da cancha localizada no bairro do DNER.

   O local era frequentado por uma multidão... as apostas se sucediam... numa dessas ele ganhou um revólver calibre 22. Diz ter usado a arma uma única vez, graças à Deus. Foi numa calada da noite no espaço onde está até hoje a sua residência, um larápio adentrou o quintal para tentar roubar um colchão de casal. Ele ouviu um barulho estranho... pegou a arma, abriu a janela, e, ao ver o intruso, deu dois pipocos para o alto. O ladrão saiu em desabalada carreira, deixou no local um carrinho de madeira que serviria de transporte para o produto a ser roubado...cO tal carrinho permaneceu por muitos e longos anos se transformou em poleiro de galinhas... O larápio nem notícia.

   Zakinews traz o resumo de vida do cidadão Natalino Anacleto da Costa. Hoje aos 88 anos desfruta do convívio de sua eterna companheira Catarina Viana; dos filhos, genro, noras, netos e de todos que por ele tem consideração e respeito. A sua consciência é tranquila e feliz. “A gente só entristece quando tá doente”. Finalizou.

Acima, os pais de Natalino Costa, Felipe Anacleto da Costa e Antonia Maria da Costa. Tiveram oito filhos
Natalino Costa com seus irmãos 
O casal Natalino e Catarina tem cinco filhos. Confira na foto acima:
Da esquerda para direita: Márcio, Aloísio, Eliane, Natalino, Catarina, Edilson e Carlos
Sob olhar do sr. Costa, dona Catarina escolhe as fotos para a reportagem
 
Fotos das Bodas de Ouro (em 2010)
 
Dom José dá às bençãos pelos 50 anos de união entre Natalino e Catarina
Hoje, próximo de completar 60 anos de casado, sr Costa e sra Catarina ainda mostra muita saúde e alegria no lar

Comentários: ( 18 ) cadastrados.
Por: Elza Rodrigues
Cáceres mt
Parabéns!! 👏🏼👏🏼 Linda a sua história Sr. Natalino. Conheço essa família já a 48 anos.. São tios e primos dos meus filhos.
03/02/2020 08:13:04

Por: Elaine

Que belo exemplo de união, parabéns ao casal, que ainda estão muito bem, que Deus os conserve com muita saúde, infelizmente no mundo de hoje não existe mais essa união de amor, tolerância, paciência e de entrega.
03/02/2020 08:32:35

Por: Claudionor Guia de Turismo
Cáceres
Sensacional a reportagem, parabéns a família querida, povo humilde e hospitaleiro. Obrigado.
03/02/2020 09:00:19

Por: Ronan Carlos
Sydney - Austrália
O melhor exemplo de vida que uma pessoa pode ter, eu como neto me sinto honrado em dizer que me espelho no meu avô, um verdadeiro super herói, minha admiração por esse casal é imensa , na verdade são tantos os elogios que poderiam ser citados que transformariam em uma nova história. Amo meus avós, linda matéria. Saudades 👏🏽
03/02/2020 09:18:51

Por: #Edilson J.Viana Costa
Cáceres-MT
Parabéns ao talentoso Toninho Costa e ao mestre da fotografia Kishi, contando as histórias dos cidadãos que ajudaram a formar e enobrecer a pacata Cidade de CÁCERES-MT.
03/02/2020 09:41:45

Por: Valdemir
CUIABA
Parabens Tio Costa, pelo exemplo de vida!
03/02/2020 10:00:18

Por: Eunice de Jesus
Cuiabá
Meus padrinhos meus exemplo um grande pai de família guerreiro honesto e sempre dedicado a família sem palavras para este casal que amo muito só peço a Deus que abençoe muito eles e da muitas saúde amo demais este casal que parabéns exemplo de vida
03/02/2020 10:09:41

Por: Jose luiz
Caceres mt
Parabéns ao casal e a toda essa família maravilhosa que nos acolheu em nossa chegada a caceres, nos deu tanto carinho e amizade sincera nos ajudou em dias difíceis e se alegrou nos momento de festas. Temho muito apreço por todos que Deus abencoe cada um dessa familia maravilhosa👏👏🙏🙏🙏
03/02/2020 12:12:08

Por: Anônimo (não se identificou)

Parabens compadre pela caminhada pela familia maravilhosa que amamos muito
03/02/2020 12:53:12

Por: Suely
Cuiaba
Casal abençoado. Linda trajetória Seu Costa. São muito queridos. Saúde e felicidades.
03/02/2020 16:18:10

Por: Roberto Anacleto da Costa
Cuiabá
Um verdadeiro baluarte para toda a nossa família. Um exemplo de pai e cidadão. Tenho o maior orgulho de ser seu sobrinho e afilhado. Padrinho, nós todos te amamos muito.
03/02/2020 18:03:15

Por: Eliane Viana Costa
Cáceres-MT
Não tenho palavras para expressar os meus sentimentos aos meus pais, meus tesouros, que nunca mediram esforços para nos educar, proteger e ser presentes em todos os momentos das nossas vidas como filhos! Creio que os irmãos também têm a mesma gratidão e amor por eles! Agradeço imensamente aos autores desta merecida produção homenageando a minha família! É uma louvável iniciativa de registrar a história da nossa cidade através de pessoas que têm vivos na memória os acontecimentos do passado e que fazem parte da nossa cultura. São muitas pessoas ilustres, assim como os meus pais, que merecem esse destaque e que com seus relatos, enriquecem a história da Princesinha do Paraguai! Parabéns e muito obrigada, em nome de toda a nossa família!
03/02/2020 13:02:37

Por: A. Carlos viana Costa
Cáceres MT
Agradeço a Deus pelos meus queridos pais, exemplo de dedicação, humildade, esforço, paciência e o mais importante, multo "AMOR" com nós filhos, netos, bisnetos, parentes, amigos, meus pais dedicaram e dedicam até hoje as suas vidas para ajudar e unir as pessoas. Obrigado" Xô Costa e Xá Cata" por tudo que fazem por nós todos até hoje, somos felizes, por te-los ao nosso lado, amamos demaxxxxx os senhores... PARABÉNS Kishi e Toninho Costa por esse maravilhoso trabalho que estão fazendo, um verdadeiro resgate Histórico Cultural para a nossa cidade de Cáceres e população.
03/02/2020 18:39:16

Por: Ademir Félix de Macedo
Cáceres
Parabéns Tio Costa , exemplo em tudo, foi o meu primeiro professor quando eu tinha apena 5 anos de idade e aos 18 anos quando fiz o teste de volante para a minha primeira abilitacao nos anos de 1978, quem estava la! Tio Costa de novo, sao tantas as lembranças boas que nem da para contar aqui
03/02/2020 20:14:58

Por: Samira
Cáceres
Estou amando acompanhar tantas histórias Kishi... que leitura boa você nos proporciona. Muito obrigada por tamanha sensibilidade em retratar essa viagem ao passado. Um grande abraço
03/02/2020 20:52:52

Por: Nilva
Campo Grande MS
Parabéns ao casal lindo que tive o prazer de conhecer e que posso chamar de tios!😍😄 Pessoas queridas, acolhedoras e que ao lado deles é só alegria e muita diversão! Um exemplo para os casais de hoje de cumplicidade e amor! Criaram seus fil
04/02/2020 01:33:15

Por: Edna Sebastiana da Silva Custodio
Cáceres/MT
Eu tenho muito orgulho do Sargt Costa, trabalhei com ele na 4 a Ciretran e meu falecido pai Ten.Nazareno era o chefe. Srgt Costa uma pessoa de caráter e humildade perfeita. Qdo ele trabalhava com meu pai era braço direto do meu pai.
04/02/2020 15:10:34

Por: Fernanda Martins
Cáceres-MT
Parabéns sr.Natalino por esse maravilhoso exemplo de vida! Agradeço ,comovida as elogiosas referências as administrações do meu pai Ernani. Parabéns Kishi ,por resgatar nossa história com esses belos relatos.
08/02/2020 18:50:39

Faça o comentário para a noticia: Natalino Anacleto da Costa, uma vida e muitas lutas!

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.