22/01/2020 - 15:30

Por: Wilson Kishi

Ismar Gomes, uma vida dedicada à arbitragem de futebol em MT


 

   “O alimento do árbitro é o xingamento da torcida. O árbitro gosta de casa cheia. Já imaginou uma partida de futebol sem torcida? Não tem graça”, disse o ex-juiz de futebol e atual instrutor da Escola Mato-grossense de Arbitragem de Futebol, Ismar Gomes da Silva, em entrevista exclusiva ao Zakinews.

   Pela primeira vez, ao longo de seus 52 anos de trabalho dedicados ao futebol em Mato Grosso, Ismar Gomes da Silva, de 76 anos, concede uma entrevista para um veículo de comunicação do estado e fala sobre sua vida como árbitro de futebol e, depois, como instrutor da Escola Mato-grossense de Arbitragem de Futebol (EMAF).

   Ismar é sergipano da cidade de Aquidabã, mas aos sete anos de idade acompanhou seus pais, Antonio Humbelino da Silva e Maria da Silva, quando foram morar em São Paulo. Em 1958, quando tinha 14 anos, chegaram em Mato Grosso vindo a residir em Cuiabá.

   “Como gostava de futebol, cheguei a jogar num time amador de bairro, mas não tive muito sucesso jogando bola, e aos 25 anos, aproveitei a oportunidade de fazer uma espécie de peneira para juiz de futebol com um árbitro do Rio de Janeiro que veio aqui em Cuiabá”, relembra.

   Assim foi o início de uma carreira que ainda perdura até os dias atuais. Essa “peneira” aconteceu no ano de 1968 e Ismar Gomes ficou apitando como árbitro da Federação Mato-grossense de Futebol até 1993. Ele recorda que, mesmo apitando jogos, acompanhava os instrutores que vinham de fora, onde começou a gostar dessa atividade e passou a ensinar as regras de futebol e a formar novos juízes. “Meu primeiro curso como instrutor foi em 1982 na cidade de Mirassol D´Oeste”, conta com orgulho. De Cáceres, lembrou dos árbitros que ele formou, como Manoel Menacho e Afonso Brasil.

   Com o apito na mão, Ismar atuou por mais de 25 anos. Foram centenas de partidas que ele mesmo não tem noção do número, mas conta orgulhoso que foi o primeiro árbitro a apitar o primeiro jogo internacional no Estádio Verdão entre a Seleção da Bulgária X Operário de Várzea Grande.

Um dos registros de Ismar Gomes, como árbitro em partida de futebol no Estádio Verdão. Ao seu lado o colega Ari Euclides


   Para Ismar Gomes, só existe jogador difícil para a arbitragem se você der margem para isso. “O árbitro tem que ter controle, principalmente emocional. Tem que ter a regra na cabeça e fazer com que o jogador te respeite e, ao mesmo tempo, você também tem que saber respeitar o jogador”, relata.

   Outro detalhe importante para a vida de um árbitro, segundo o instrutor, é saber apitar com o estádio cheio. “O alimento do árbitro é o xingamento da torcida. O árbitro gosta de casa cheia. Já imaginou uma partida de futebol sem torcida? Não tem graça”, conta Ismar.

   Sobre o futebol daquele período das décadas de 70/80, o professor considerava que o futebol era mais clássico do que é hoje. “Quando você falava que um jogador era craque, era porque jogava bola mesmo. Hoje qualquer perna-de-pau é considerado craque. Qualquer um que sabe dominar a bola já é craque e se ele fizer um gol espetacular ele passa a ser um fenômeno. Mas não se compara com um Garrincha, um Pelé, um Zico”, justifica.

   Ismar lembra com saudades da época que o campeonato estadual era um Mato Grosso só. Os grandes times eram o Mixto, Dom Bosco, Operário, Comercial e Operário de Campo Grande que chegou a ser o 4º colocado no Brasileiro de 1977. E sobre os jogadores, ele comenta “Os craques naquela época eram o Almir, Bife, Gilson Lira, um grande centroavante e tantos outros. Aqui você tinha jogadores que jogaria em qualquer time grande do Brasil”.

   Qualificado como instrutor de arbitragem pela Commebol, Ismar Gomes, além de comandar o quadro de árbitro da FMF, idealizou e implantou a Escola Mato-grossense de Arbitragem de Futebol (EMAF), a única escola no Brasil que tem CNPJ própria. A EMAF é reconhecida e credenciada pela Federação Mato-grossense de Futebol e tem como instrutores o próprio Ismar Gomes e Helisângela Almeida.

Certificado de Curso de Instrutores de Árbritros organizado pela Confederação Sul-Americada de Futebol e Confederação Brasileira de Futebol, realizado em abril de 1998


   Hoje, para fazer um curso de arbitragem na EMAF, o tempo de duração é de oito meses. Atualmente, o quadro da Federação dispõe de mais de 70 juízes e todos os anos são realizados seletivas para escolher em torno de 50 profissionais que atuarão nos campeonatos estaduais promovidos pela entidade.

   Segundo o instrutor, Mato Grosso tem 16 árbitros que integram o quadro da CBF e já teve outro, há pouco tempo atrás, que fez parte da FIFA. “Esses números refletem na boa qualificação que a EMAF oferece aos alunos através dos cursos”, diz Ismar com satisfação.

   Perguntado sobre as boas e más lembranças que teve na vida, Ismar respondeu que não teve más lembranças e sim, dificuldades. Uma delas ele cita que aconteceu no Estádio Geraldão, em Cáceres. “Fui apitar um simples amistoso entre Cáceres X Tremendão do saudoso Joaquim Deolindo. O amistoso foi só no nome, porque quando o jogo começou o bicho pegou para todos os lados. Isso que vocês chamam de brincadeira?”, recordou, citando as rixas que tinha entre as duas equipes.

Ismar Gomes, em 2019, como delegado em partida da 2ª Divisão de Mato Grosso, no Estádio Luiz Geraldo da Silva, o Geraldão


   Das boas lembranças que nunca vai esquecer, Ismar cita a partida entre a Seleção da Bulgária contra Operário Varzeagrandense, quando apitou essa que foi a primeira partida internacional realizada no Estádio Verdão. Outro registro positivo foi o tempo em que ficou quase 12 anos como integrante do quadro de árbitros da CBF e das partidas em que atuou fora do estado, como exemplo citou a partida entre Operário de Campo Grande e São Paulo do técnico José Poy no Estádio Morenão.

   Quando o assunto foi o Estádio José Fragelli, o Verdão, Ismar fala com tristeza. “A demolição do Verdão foi um prejuízo para o futebol de MT. A Arena Pantanal deveria ter sido construída em outro local e deixasse o Verdão para outros jogos. Estamos carentes de campos de futebol na Capital. Para realizar um jogo na Arena o custo é muito alto”.

   Para finalizar a conversa, perguntamos ao nosso entrevistado qual o seu time do coração e ele respondeu que não torce para nenhum time, principalmente em Mato Grosso. “Como integrante do quadro de árbitros, temos que ser isento de qualquer paixão. O que torço mesmo é pela evolução de todos os times de Mato Grosso”, disse. Mas, a nível de Brasil, Ismar revelou que tem preferência pelo Vasco e Corinthians, mas não significa que seja torcedor dos dois clubes.

Ismar Gomes entrega uma placa ao dr. Carlos Orione, como Presidente de Honra da Escola Matogrossense de Arbitragem de Futebol (EMAF), como um grande incentivador para a fundação da escola.


   Hoje, Ismar Gomes da Silva é considerado um ícone do futebol mato-grossense, tendo vivido dois terços de seus 76 anos de idade trabalhando como árbitro da Federação Mato-grossense de Futebol e instrutor da Escola Mato-grossense de Arbitragem de Futebol. Nesse período, passaram como presidente da FMF, João da Silva Torres, Herman Dutra Pimenta, Agripino Bonilha Filho, Levi Rodrigues do Prado, Carlos Orione e o atual presidente, Aroan Dresch. Também chegaram de assumir a presidência os empresários, Helmute Lawisch e João Carlos de Oliveira, ambos foram vice-presidentes na gestão de Orione.

Comentários: ( 16 ) cadastrados.
Por: Walter Udson fernandes
Cuiabá
Parabéns Kishi pelas matérias diferenciadas. Muito bacana reconhecer pessoas que são esquecidas no meio de nosso futebol, mas que contribui muito com o esporte de Mato Grosso. Nosso amigo ISMARI


27/01/2020 10:11:42

Por: Anezio Rigonatto
Aragarças GO
Foi através do Osmar Gomes que eu entrei na arbitragem da FMF, como o Geson e seus irmãos, nós aqui de Barra do Garças fomos 3 árbitros, Claudemir Rigonatto que chegou a CBF através do Ismar, Vanderlei e eu que fiquei na federação até nos 52 anos de idade, a arbitragem te dá muitos amigos de verdade, alguns querem te derrubar, mas o Ismar não aceitava isso. Abraços meu amigo Ismar Gomes, o verdadeiro Papai Noel de MT
25/01/2020 18:47:56

Por: Fernanda Oliveira Evans
Atlanta - EUA
Eu fui professora de inglês na EMAF e posso atestar o compromisso da escola com a preparação dos seus alunos!

Parabéns! Ele merece essa homenagem!
24/01/2020 17:40:41

Por: Gislan Garcia
Cuiaba
Grande pessoa de personalidade, respeitoso e dedicado naquilo que faz, fui formado pela escola desse senhor Na qual se dedica muito a repassar seus conhecimentos, parabéns pela matéria e obrigado Prof Ismar pela paciência com os árbitros.
Abraço e sucesso sempre
24/01/2020 10:02:58

Por: Alberth Costa
Cuiabá-MT
Ismar Gomes! Um sábio do futebol Mato-grossense!
24/01/2020 09:51:16

Por: Luiz Bezerra
Cáceres
Parabéns Kishi pelas matérias diferenciadas. Muito bacana reconhecer pessoas que são esquecidas mas que contribuiram, neste caso do Ismar, ainda contribui, com o esporte de Mato Grosso.
24/01/2020 07:40:49

Por: Eliana Almeida
Cuiabá
Parabéns meu pai por tanta dedicação nesses anos todos, sabemos o quanto gosta do que faz, nós sabemos o quanto foram momentos bons e difíceis, mais sem que para o Sr valeu muito, um exemplo de pai, amigo e companheiro, te amo muito.
24/01/2020 06:59:11

Por: Carlos Fernandes
Cuiabá
Esse merece todas as homenagens do esporte, tive o prazer de conviver por muitos anos da vida esportiva de Mato Grosso e sou testemunha da sua dedicação pelo trabalho de arbitragem do estado,se hj existe um quadro de arbitragem de boa qualidade, se deve ao Sr.Ismar Pisca, Pisca Gomes (Apelido Carinhoso).
23/01/2020 21:11:27

Por: Cremildo Ribeiro
Cuiabá
Merecedor esse reconhecimento de um trabalho de meio século de um cidadão simples e humilde, porém sério e trabalhador. Valeu Ismar Gomes.
23/01/2020 19:28:42

Por: Pablo
Cuiabá
Esse é recordista... De tempo, ganhou até o saudoso Orione.
23/01/2020 19:02:17

Por: Santana
Cuiabá
Se muitos torcedores xingam os juizes de futebol, muitas vezes pela sua pouca qualidade técnica e conhecedor da regra, imagina se não fosse formado pela escola do Ismar. Seria uma catastrofe.
23/01/2020 10:37:12

Por: Benedito Neves
Várzea Grande
Parabéns por reconhecer quem fez, faz e continua fazendo pelo futebol de mato grosso
23/01/2020 10:08:28

Por: Joilson
Cuiabá
Eu assisti muitos jogos no antigo estádio José Fragelli e com esse grande filho da mãe dos torcedores de todos os times, heheheheh... o Ismar Gomes foi sempre um bom juiz e todos temos que tirar o chapéu pra ele. Parabéns pela matéria e isso vai ficar marcado.
23/01/2020 10:04:59

Por: Paulo fanaia
Cuiabá
Tive o prazer de conviver com o Ismar nos bons tempos de rádio e TV . Merece toda essa homenagem. Parabéns ao zakinews pela reportagem.
22/01/2020 17:14:32

Por: Genesio luiz Neponuceno
Cuiabá
Parabéns pela homegem ao Ilustre amigo Ismar Gomes! Ismar Vc é merecedor dessa bela homenagem por tudo que fez e representou no Futebol Matogrossene , Eu tive a honra de poder ter convivido e acompnhado o seu trabalho valoroso.
22/01/2020 16:10:11

Por: William César neponuceno
Cuiabá mt
Grande ismar gomes , onde tive a oportunidade como garoto , naquela época anos 80, vi por varias vezes ismar bandeirar , meu pai felicido Genésio do Carmo, naquela epoca treinador do União esporte clube, onde pude assistir várias partidas grandes clássico do futebol matogrossense , e lá estáva irmar gomes por várias vezes bandeirando, e muito bom relembrar momentos bons do nosso futebol , de pessoa que contribuíram muito para o nosso futebol.
22/01/2020 14:58:48

Faça o comentário para a noticia: Ismar Gomes, uma vida dedicada à arbitragem de futebol em MT

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.