12/06/2019 - 17:56

Por: Wilson Kishi

“Na vida você tem que ter saúde e liberdade”, diz Pedrinho de 85 anos


Matéria EXCLUSIVA Zakinews

Pedrinho ainda praticando seu futebol na AABB de Cáceres


   
Aos 85 anos, Pedro Souza de Oliveira, conhecido como Pedrinho, ainda desfruta de boa saúde e vigor físico invejável. Até hoje pratica o futebol duas vezes por semana entre jogadores que poderiam ser seus netos e frequenta assiduamente as reuniões de clubes de serviços que faz parte há mais de 50 anos.

   Ele nasceu em 30 de abril de 1934, na cidade baiana de Santa Inês. Durante sua infância e adolescência, residiu nas cidades de Jequié e Ilhéus. Seus pais, Manoel Soares de Oliveira e Ladelina Souza Oliveira, tiveram seis filhos: Zizete, Railda, Pedro, Gesilda, Gláucia e Elide.

   Quando adolescente, Pedrinho sempre demonstrou uma personalidade forte, fez o alistamento militar em Ilhéus e, logo em seguida, sem saber se seria chamado, acabou indo se aventurar no Rio de Janeiro, quando estava com seus quase 18 anos.


Pedrinho mostrando a fotografia de sua mãe

   Para sua mãe, Pedrinho disse que foi em busca de "novos ares" e, assim que chegou na cidade carioca, solicitou a transferência do seu alistamento militar. Após dois anos, foi chamado a se apresentar na unidade do 8º Grupo de Artilharia de Costa Motorizada, localizada na Gávea. O primeiro comandante foi Ernesto Geisel.

   Formou-se sargento na tropa e seu tempo de militar do Exército tinha limite de nove anos. Para dar continuidade à carreira, ele teria duas opções: fazer um curso de aperfeiçoamento ou servir numa unidade de fronteira.

   Muito comunicativo e de fácil amizade, Pedrinho sempre teve o carinho de seus superiores. Assim, de forma sincera e convincente, conseguiu sensibilizar o coronel Mozar Dorneles a conseguir a sua transferência para um quartel de fronteira. “Eu tenho que conseguir um lugar na fronteira para não perder minha vontade de continuar no exército”, disse ele ao coronel.

   Como não era fácil conseguir vaga para outras unidades, Dorneles foi fundamental nas articulações junto ao subalterno do ministro do Exército, Orlando Geisel, irmão do general Ernesto Geisel. Dessa forma, Pedrinho teve seu pedido de transferência autorizado e pôde escolher entre Foz do Iguaçu-PR e Cáceres-MT.

   Sem conhecer o centro-oeste do país, Pedrinho decidiu se mudar para Cáceres. “Coronel Mozar Dorneles, eu escolho Cáceres, porque assim já fico logo encarcerado”, lembrou com algumas risadas desse comentário que fez na época. A decisão aconteceu poucos dias antes da inauguração de Brasília.

   “Peguei o mapa do Brasil e o nome de Cáceres ainda aparecia como São Luiz de Cáceres. Naquela oportunidade, a companhia aérea em destaque era a empresa Cruzeiro do Sul que fazia a linha Rio-São Paulo-Campo Grande-Corumbá-Cáceres-Cuiabá. Lembro que cheguei em Cáceres num domingo, mês de março de 1960. E aqui na fronteira, naquela época, tinha fama que as pessoas mais indisciplinadas que conseguiam as transferências”, conta Pedrinho.

   Segundo o jovem sargento, quem o recepcionou no 2º Batalhão de Fronteira foi o coronel, Chesonézio Galvão, que foi logo apontando com o dedo indicador uma árvore que estava logo à sua frente dizendo que servia para pendurar sargento que não gostava de trabalhar. “Não é o meu caso não coronel, vim aqui para cumprir missão”, respondeu Pedrinho mais que rapidamente. E foi na Companhia de Comando de Serviço (CCS) que ele iniciou suas atividades em Cáceres.

   A distância entre Cáceres e Ilhéus-BA é de 2.000 KM em linha reta. A saudade já bateu forte assim que pisou na cidade e no dia seguinte de sua chegada, Pedrinho foi até os Correios enviar um telegrama. Enquanto escrevia a mensagem para sua mãe, percebeu um homem ao seu lado deixando exposto no documento o nome Lindote. “Por acaso, você é baiano? Tem parentesco com Euzébio Lindote da cidade de Ilhéus?”, perguntou curioso. Coincidentemente, para sua surpresa, o homem ao lado se chamava Eduardo Benevides Lindote, irmão do Euzébio. Feliz, Pedrinho conseguiu sentir-se mais próximo de sua terra ao encontrar um conterrâneo.

   Sua primeira hospedagem foi numa república com os amigos Raimundo, Orestes e Peruca. Juntos, formaram um grupo que cantavam serenatas, com harpa e violão. Foi através das músicas que ele conquistou muitas amizades.

   Em 1961, começou a namorar Eunice Gomes, e casaram-se em 22 de julho de 1965. O casamento ficou registrado como a primeira cerimônia a ser celebrada na Catedral São Luiz, mesmo antes de sua inauguração oficial em 25 de agosto de 1965. A porta central do templo religioso ainda não estava concluída e a noiva adentrou na igreja pela porta lateral (da rua 13 de junho).

A noiva Eunice Gomes adentrou na catedral São Luiz pela porta lateral. O casamento aconteceu 33 dias antes da inauguração da catedral

   Ainda como militar na ativa, comprou uma farmácia, em 1971, instalada na Praça Barão do Rio Branco - a Drogaria Renata. Eunice tomava conta da farmácia e ele continuava no Exército. “Quando a minha filha Renata era recém-nascida, surgiu a oportunidade de transferência para Corumbá, mas preferi ficar em Cáceres, porque teria que deixar a farmácia e família”, relembra Pedrinho.

   Essa decisão de permanecer em Cáceres, para o sargento, significou a perda de uma melhoria na remuneração e elevação na graduação da carreira militar. Pedrinho fala, para a reportagem do Zakinews, que não tem nenhum arrependimento. “Deixei de ganhar um pouco mais, mas ganhei muito com as amizades que conquistei aqui e isso não tem preço”, revelou. Em 1975, deixou a carreira militar, indo para a Reserva.

   Pedrinho ingressou no Rotary em 1966, através do seu padrinho, Walter Fidelis, e se apaixonou pelo Clube de Serviço que tem como lema principal “Dar de si, antes de pensar em si”. É frequentador assíduo, faz questão de participar de todas as reuniões ordinárias. “Pode faltar tudo, menos o Pedrinho nas nossas reuniões”, disse um companheiro rotariano.

   Outra entidade que ainda frequenta e sente também enorme consideração para a sua formação moral é a maçonaria. Se de Rotary, Pedrinho tem 53 anos, na maçonaria são outros 42 anos de participação efetiva até os dias atuais.

Pedrinho, o rotariano mais antigo do Distrito 4440, sendo sendo carregado pelo governador 2019-2020, Washigton Calado, durante solenidade de inauguração de Academia da Terceira Idade

   Em maio deste ano, durante a XXVIII Conferência Distrital do Rotary International, Distrito 4440, organizado pela governadora Marly de Fátima Ferreira, o representante do RI, governador 2013-14 do Distrito 4630, Antonio Carlos Cardoso, em seu discurso fez referência ao lema do ano rotário 2018-2019: Seja a Inspiração. “Como podemos ser verdadeiros rotarianos e dispensar o nosso tempo na realização de projetos de Rotary? ”, indagou Cardoso.

   Como resposta a sua pergunta, ele mesmo fez referência a outra pergunta: “O que faz uma pessoa ficar 53 anos fazendo parte de um clube de Rotary? Uma pessoa que fica todo esse tempo, passando por diversas situações, muitas vezes adversas, mas continua firme no Rotary. Isso sim é exemplo, é inspiração”, concluiu Antonio Cardoso. E Pedrinho foi a inspiração do representante do Rotary International na sua palestra, chamando-o, carinhosamente, de "rotakid Pedrinho".

   O fato citado por Cardoso, despertou na rotariana de Sinop, Leni Chiarello Ziliotto, bióloga e escritora que estava presente na conferência, o interesse de citar Pedro Souza de Oliveira em seu próximo livro, como um forte exemplo de vida rotária. “Na vida você tem que ter saúde e liberdade”, respondeu Pedrinho à companheira do Rotary após ser perguntado qual o segredo de chegar aos 85 anos com saúde e tanta inspiração.

   Este ano, Pedrinho completa 53 anos de Rotary. Não sabe falar quantas Conferências Distritais do Rotary já participou. “Foram inúmeras. Gosto demais do Rotary. Tenho paixão em servir. Como não posso fazer nada sozinho, venho participando das atividades rotárias e, assim, de certa forma, estou servindo, participando e dando a minha contribuição”, disse.

Preparação dos atletas do Jovens Coroas na quadra do Humaitá

   Outra paixão de Pedro Souza de Oliveira é o futebol. Vascaíno fanático, jogava futebol de salão na quadra do Colégio dos Freis, o atual Salesiano Santa Maria, no bairro da Cavalhada. Em 1976, ele, juntamente com Pedro Paulo Ourives e Edward França do Amaral, foram alguns dos fundadores do famoso grupo “Jovens Coroas”, que tinha como objetivo a prática esportiva, lazer, higiene mental e confraternização familiar.

   Os atletas do grupo eram compostos por “jovens coroas” profissionais liberais, comerciantes, membros do Judiciário, Legislativo e Executivo e jogavam na quadra coberta do Esporte Clube Humaitá três vezes por semana.

Acervo de Rui Guimarães
Equipe do Jovens Coroas

   Fizeram parte nos primeiros anos de fundação do time: Dito Stil, Gilberto Mineiro, Mancuso, Carlos Parreira, Aloísio Barros, Pedro Henry, Aristides Romeiro, José Carlos Guizelin, Valcir Lazzari,  Zé  Mateus, Carlos Gotardo, Haroldo Luiz Marques, Wilson Português, Uilson Vançan, Rui Guimarães, Wilson Matsushita, Mário Márcio, Paulo Altair, Álvaro Rocha, Zezão Gattass, Luisinho do Assadão, Ronaldo do Fórum, Tolosa, Fleury, Eliseu da Cemat, Nivaldo Cintra, Paulo Rodrigues, Pepa Arruda, Alcino, Ivo Deluque, Edmilson Souza, Chico da Emater, Clévio Alemão, Rubens e Ricardo Campos, Adair Barbosa, Luís Ourives, José Ribamar Brito, Cado, Luciano Barros, Mário Márcio Figueiredo, Marionely Viegas, Sgto Godoy, Herly Franco, Décio Cruz, Francisco Assunção, Fafá Gattass, Lécio Moura, Admilson Teodoro, Vicente  Ortiz doToma'sUma, Zé Gato, Moacir Flores e José de Assis Guaresqui, entre dezenas de outros sócios e torcedor de ouro "Figueiredo". Todas as sextas-feiras, eram realizadas  noreuniões festivas com as esposas dos jogadores. De todos aqueles antigos amigos, Pedrinho, apesar da idade, é um dos poucos que ainda está em atividade. Joga futebol society na Associação Atlética Banco do Brasil, com a nova versão do Jovens Coroas, comandado pelo desportista Chiquinho Assunção.

   Nos tempos de Exército, foi presidente do UBSSC, União Beneficente dos Sargentos e Subtenente de Cáceres; do Clube Mato Grosso e do Esporte Clube Humaitá em três oportunidades. O carinho que Pedrinho tinha com o Azul e Branco era muito grande, não só por ter sido presidente, mas pela parceria com o Jovens Coroas por mais de 30 anos. Pedrinho chorou quando ficou sabendo que estava sendo derrubado o muro da quadra do Humaitá.

   O consolo para o vascaíno foi realizar o último jogo naquele espaço antes de entrar em reforma para o Ganha Tempo. O Jovens Coroas se reuniu e registrou a última partida antes da transformação da quadra para o Ganha Tempo. O início das obras das novas instalações no Humaitá foi em 8 de outubro de 2018 e sua inauguração aconteceu no dia 27 de dezembro do mesmo ano.

   Com quase uma hora de entrevista, sentado no sofá de sua casa, Pedrinho fala sobre a cidade que escolheu para morar. “Minha vida em Cáceres, graças à Deus, é uma maravilha. Meu relacionamento é muito grande, as amizades são muitas", conta realizado.

   Com lágrimas nos olhos, Pedrinho relembra a festa de seus 60 anos de idade. “Quando eu completei 60 anos, fizeram uma festa surpresa para mim. Foi maravilhosa, vieram três irmãs da Bahia, eu não sabia de nada, foram três dias de festa. No primeiro dia, fizeram serenata duas horas da manhã, sem eu saber. Vieram mais de 200 pessoas”, conta emocionado.

Por alguns segundos, Pedrinho se emocionou ao relembrar a festa surpresa feita pelos mais de 200 amigos que compareceram na sua casa, com presença de três irmãs que vieram da Bahia, especialmente para a sua homenagem

   Na ocasião, uma das irmãs de Pedrinho pegou o microfone e disse: “Meu irmão! Eu não sabia que nossa família era tão grande aqui em Cáceres”, disse ela ao se referir a grande quantidade de amigos que participaram da surpresa de aniversário. “São coisas boas que plantei aqui e os frutos de boas amizades aparecem”, respondeu para sua irmã naquela oportunidade.

   Do seu casamento com Eunice, Pedrinho teve os filhos, Renata e Bruno. Eunice faleceu em janeiro de 2008. Após quatro anos, em 21 de setembro de 2012, casou-se com Maria Célia.

   Diversas razões fizeram com que Pedrinho ficasse, de fato, "encarcerado" em Cáceres, como ele mesmo já previa ao escolher a Princesinha do Rio Paraguai para cumprir a sua missão no batalhão de fronteira e fincar suas raízes.

   Assim, através do Decreto Legislativo nº 18/2007, de autoria do vereador Wilson Kishi, que a Câmara Municipal de Cáceres conferiu o Título de Cidadão Cacerense ao baiano de nascimento Pedro Souza de Oliveira em sessão solene ocorrida no mês de outubro de 2007.


Pedrinho recebeu o Título de Cidadão Cacerense de autoria do vereador Wilson Kishi
 
Pedrinho ao lado da sua atual esposa, Maria Célia, durante a XXVIII Conferência de Rotary realizado em Cáceres no mês de maio/2019 
Na foto acima, o casal Pedrinho e Eunice com os filhos Renata e Bruno
 
 

 

Comentários: ( 23 ) cadastrados.
Por: Mariangela Cunha
Cáceres
Emocionante!! Cáceres quem ganhou ao receber essa grande pessoa.. Parabéns pela inspiração de vida Pedrinho!
13/06/2019 08:26:29

Por: Leni C Ziliotto
Sinop
Pedrinho é exemplo de VIDA. Que, com certeza, a mente forte, disciplinada e do bem o faz uma pessoa magnifica. Jamais daria 85 anos para uma pessoa com tanta energia, vitalidade, disposição. No máximo 50. Pedrinho é INSPIRAÇÃO.
13/06/2019 08:49:29

Por: José de Assis Guaresqui
Cuiabá
Parabéns pela publicação. Me emocionei ao ler a matéria, pois participei, nos últimos 36 anos, em alguns momentos, dessa história verdadeira e presenciei a vida exemplar do meu grande amigo Pedrinho. Bons tempos...grandes amigos...
13/06/2019 04:53:31

Por: Francisco Assunção
Cáceres MT
Parabéns Kishi. brilhante matéria. o Pedrinho é para nós o exemplo de dedicação e comprometimento com esporte em especial o futsal do qual tenho honra de ser membro desse grupo até hj.
12/06/2019 19:45:55

Por: João Crispim
Ipaumirim - Ce
Pedrinho, meu companheiro de Rotary Club, parceiro, amigo de truco espanhol no club da AABB. Lealdade, acima de qualquer prova. Aproveito a oportunidade para enviar um grande abraço. Deus continue te abençoando, meu amigo.
13/06/2019 06:09:54

Por:

Meu pai o senhor é um exemplo de pessoa para muitos amigo parceiro ajuda quem merece amo muito o senhor meu um grande beijo em seu coracao
13/06/2019 10:24:34

Por: ZÉ Alfredo
Caceres
Pedrinho é um ícone cacerense, parabéns pela sensibilidade dessa entrevista, é bacana reviver historias tão bonitas como essa.. abraço ao Pedrinho
13/06/2019 13:43:42

Por: Helio Kishi
Campo Grande - MS
Meu padrinho Pedrinho, Sempre cheio de alegria e vitalidade... que tenha sempre essa saúde e disposição no ponto mais alto da vida, e continue sendo exemplo para todos os jovens. Grande abraço!
13/06/2019 14:10:48

Por: Fleury Leite de Souza
Rondonópolis
Pedrinho, a vida é uma aventura mágica e repleta de emoções. Você faz parte de tudo isso. Meu grande amigo,convivemos mais de perto quando estive no Jovens e Coroa. Como era bom conversar com você nas sextas-feira quando tínhamos as confraternizações com nossas família. Que felicidade ter tido oportunidade de conhecer você e a finada Eunice. Vocês nunca saíram da minha memória como grandes exemplos de vida, liberdade e felicidade. O seu exemplo só inspira a juventude. A prática do esporte foi uma opção saudável em sua vida e com certeza você está colhendo os benefícios de uma boa prática. Tenho orgulho de ser seu amigo e saber que ainda bate uma bolinha duas vezes por semana aos 85 anos de idade. Você com certeza é o baluarte da liberdade e felicidade. Acho que você vai acompanhar Matusalém. A história diz que viveu até 800 anos. Você está a caminho. Desejo ao meu grande amigo mais saúde e o coração sempre cheio de amor e felicidade. Você só não encanta quem não te conhece. Um grande abraço e muita saudade
13/06/2019 14:23:55

Por: Olga Castrillon
Caceres-MT
Forma -se uma galeria de figuras preciosas para Cáceres. Gratidão, Pedrinho, pelo acerto da sua escolha; parabéns, Kishi, pelo trabalho de revitalização da nossa memória!
13/06/2019 20:33:40

Por: Cristóvão Monteiro
Cáceres Mato Grosso
Parabéns Pedrinho! Você merece tudo isso e muito mas, que Deus te dê muito mas anos de vida, para que possamos desfrutar dessa pessoa maravilhosa que você é, que o nosso pai celestial derrame toda felicidade e saúde para que possa permanecer muitos anos entre sua família e amigos parabéns!
13/06/2019 15:31:58

Por: Inês Martins
Cuiabá
Estou lendo aqui seu depoimento e viajando no tempo.De longe fui em parte testemunha de quase tudo isso.Era clente da farmácia e tinha vindo de fora embora meu marido Reynolds fosse Cacerense e também jogador dos Jovens Coroas.Lembro-me que não marcava cliente de jeito nenhum em dia de jogo,só se fosse algo muito grave....Esqueceu nosso amigo de falar que a energia elétrica ia embora as 10 da noite e só voltava no dia seguinte de manhã. Hoje também lembro -me com saudades desse mesmo tempo.Parecia que éramos todos parentes e amigos ao mesmo tempo.Todo mundo conhecia todo mundo.Recordar é viver...gostei de ler suas lembranças e mais feliz ainda de ve-lo lúcido e escrevendo tão bem aos 85 anos.Isso alimentou minha esperança de atingir essa idade com essa mesma lucidez.Parabéns.
13/06/2019 22:20:16

Por: Maria Célia
Cáceres
Eu Pedrinho e minha esposa e meus filhos agradecemos as manifestações de carinho ,e apreços a minha pessoa e peço a Deus que ilumine a todos proporcionando saúde e liberdade. Abraços do amigo baiano Cácerence.
13/06/2019 22:43:01

Por: Emilson Pires de Souza
Cáceres MT
Pedrinho, você é tudo isso que escreveram e muito mais. Parabéns e prepare-se para sifrer uma derrota no gamão. Grande abraço
14/06/2019 10:27:30

Por: Lurdes Amaral
Caceres
Sr Pedro pessoa educada e competente no trabalho. Muito bom dar espaço para pessoas boas .
14/06/2019 10:53:58

Por: Carmem de Castro
Cáceres
Quanta riqueza nos detalhes da entrevista, continue nos emocionando com essas histórias tão bem contadas Kishi.. Cáceres tem muito o que se explorar. Bela matéria!!
14/06/2019 17:06:26

Por: Terezinha de b Kondo
Cáceres
Eu tenho orgulho de conviver com este grande homem, inclusive meu dançarino predileto kkk quando a Maria deixa
14/06/2019 19:22:11

Por: Dercio Cruz
Ponta Porã
Meu grande amigo Pedrinho. Hoje (14), tive a oportunidade de ler essa matéria muito boa por sinal. Uma das primeiras pessoas que conheci quando cheguei em Cacares e 1974. Acima de todas as qualidades citadas aqui, duas nao podem ser deixadas de lado. Vascaino assim como eu, e criador de caso, principalmente jogando bola.Brincadeiras a parte, parabens Pedrinho por essa disposicao, e que Deus lhe conceda cada dia, mais saude e mais liberdade. Grande abraço.
14/06/2019 21:04:37

Por: Lúcio Mauro Leite Lindote
Cáceres
Grande Companheiro Pedrinho, amigo de meu pai eeu amigo, exemplo de vida e jovialidade.
14/06/2019 22:25:44

Por: Totonho
Caceres
Pedrinho, um ser humano inigualável, muito me honra te lo conhecido e fazer parte de sua amizade...realmente um exemplo que Deus o abençoe sempre.
16/06/2019 11:33:19

Por: Luiz Marcio Ambrosio Curvo
Cáceres MT
Grande Pedro, me orgulho de te-lo como tio postiço, dele só tenho lembranças boas e bons momentos, vai estar pra sempre no coração. Um grande, enorme abraço meu amigo soldado!
16/06/2019 21:45:37

Por: Túlio Aurélio C Fontes
Cáceres
Pedrinho é uma pessoa maravilhosa e que sempre procurou ser amável com todos. Amigo da família, desde o meu avô Aurélio Olégario de Campos (e avó Maria), do meu pai Antonio Fontes e Marília, eu me lembro dele sempre sorrindo e alegre. Sabe viver a vida e merece todo o nosso respeito. Q continue jogando futebol por muito tempo. Um forte abraço deste seu amigo e admirador, extensivo família.
17/06/2019 00:37:21

Por: Jandira Corrêa de souza
Cáceres
Pedrinho pessoas tão especiais como você merecem tudo que existe de melhor! Parabéns pessoas como vc deveriam existir mil!👏😘
17/06/2019 07:25:07

Faça o comentário para a noticia: “Na vida você tem que ter saúde e liberdade”, diz Pedrinho de 85 anos

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade do autor.
As mensagens com conteúdo abusivo poderão ser vetados da publicação.